ANDERSON AMORIM DEFENDE CARREIRA COM ENTRADA ÚNICA E CICLO COMPLETO DE POLÍCIA: Presidente do Sinpol/SC fala da luta em favor da padronização das Polícias Civis e critica falta de reuniões da Senasp

O agente de Polícia Civil Anderson Vieira Amorim vem se notabilizando na luta por melhorias do sistema de segurança pública brasileiro. Atual presidente do Sindicato dos Policiais Civis do Estado de Santa Catarina (Sinpol/SC), ele é Técnico em Processamento de Dados, graduado em Segurança Pública e especializado em Inteligência Criminal.

O DESCANSO DE UM GUERREIRO DO MUNDO DAS LEIS: Morre o desembargador Carlos Henrique Rios do Amaral

Morreu às 5 horas desta quinta-feira (23/11) o desembargador Carlos Henrique Rios do Amaral, que havia se aposentado do Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo em outubro de 2015. O velório começa às 12 horas de hoje, no Cemitério de Santo Antônio, em vitória, onde vai ser sepultado às 16 horas. Ele estava com problemas pulmonares.

1º CONGRESSO DE JORNALISMO E SEGURANÇA PÚBLICA: Presidente da ANPR defende fim do Inquérito Policial, a adoção do Ciclo Completo e Carreira Única de Polícia e o direito da PM produzir TCO

O presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), José Robalinho Cavalcanti, defendeu na tarde de terça-feira (21/11) a necessidade de modernizar a segurança pública. Para isso, ele disse que é preciso acabar com o atual modelo do Inquérito Policial, adotar no Brasil o Ciclo Completo de Polícia e estabelecer a entrada única nas corporações policiais, além de permitir as Polícias Mirares a elaborarem os chamados Termos Circunstanciados de Ocorrência.

STJ ACOLHE DENÚNCIA CONTRA CONSELHEIRO DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESPÍRITO SANTO: Pimentel é o primeiro peixe graúdo capixaba a se tornar réu na Operação Lee Oswald

A Corte Especial do Superior Tribunal de Justiça (STJ) recebeu nesta segunda-feira (20/11) a denúncia contra o conselheiro do Tribunal de Contas do Espírito Santo (TCE-ES) José Antônio de Almeida Pimentel, acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de ter cometido os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro e de integrar organização criminosa.

EM PALESTRA NA FGV, RENATO CASAGRANDE LEMBRA QUE DEIXOU A SEGURANÇA PÚBLICA MODERNIZADA, ORGANIZADA E ESTRUTURADA, MAS HOJE O MEDO É PRESENÇA CONSTANTE NO COTIDIANO DAS FAMÍLIAS CAPIXABAS

Em palestra realizada na Escola Brasileira de Economia e Finanças da Fundação Getúlio Vargas (FGV/EPGE), na última sexta-feira (17/11), no Rio, o ex-governador Renato Casagrande (PSB) afirmou que, ao cortar recursos na área de segurança pública e virar as costas para a sociedade, o governo atual transformou o Espírito Santo refém do medo e da criminalidade. Segundo Casagrande, a população capixaba voltou a conviver com a violência crescente e “o medo é hoje presença constante no cotidiano das famílias”.

Cúpula do Museu Nacional vai exibir números da segurança pública durante Congresso da Fenapef

A cúpula do Museu Nacional da República, em Brasília, vai exibir números que revelam a dimensão da crise de segurança pública brasileira. Nos dias 21 e 22 deste mês, das 19 horas às 22 horas, uma projeção mapeada vai mostrar a quantidade de homicídios, estupros e roubos registrados no Brasil por ano; o impacto da violência para a economia do país e outros dados que reforçam a ineficiência do modelo policial brasileiro.

“HOUVE VIOLAÇÃO AO PRINCÍPIO DA DIGNIDADE DA PESSOA HUMANA”, DIZ DESEMBARGADOR PEDRO VALLS: Tribunal de Justiça anula julgamento em que réu condenado foi submetido ao Júri Popular vestido com uniforme da cadeia

A 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo tomou uma decisão inédita ao seguir as regras básicas de respeito à dignidade de um preso e aos direitos humanos. Seguindo o voto do relator de uma Apelação Criminal, desembargador Pedro Valls Feu Rosa, o Colegiado anulou o julgamento do Tribunal do Júri de Vitória, que condenou  Álvaro Henrique Rubens Lyrio a 16 anos e seis meses de reclusão pela acusação de matar a jovem Érica Silva Correa numa  suposta guerra de tráfico na capital capixaba.

Capitão da Polícia Militar do Espírito Santo assume cargo de promotor de Justiça no Paraná

Mais um oficial da Polícia Militar do Espírito Santo deixou a caserna para alçar voos no Sistema de Justiça. O agora capitão da Reserva não Remunerada Felipe Lyra da Cunha tomou posse nesta sexta-feira (17/11) como promotor de Justiça Substituto do Ministério Público do Estado do Paraná. Ele tomou posse com mais 13 novos membros do Parquet paranaense. Em setembro deste ano, outro capixaba, Robledo Moraes Peres de Almeida, que também é capitão da Reserva não Remunerada da PMES, havia tomado posse como juiz de Direito do Tribunal de Justiça do Piauí.
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger