Igreja Católica condenada a indenizar família de jovem vítima de acidente na Serra

A Justiça condenou a Igreja Católica a pagar indenização de mais de R$ 700 mil à família do estudante Victor Toledo Piza, que há 11 anos sofreu um acidente no pátio da Paróquia São Francisco de Assis, em Jacaraípe, na Serra.
A Igreja nunca ajudou a família de Victor, que passou vários meses em coma. O portão da igreja caiu por cima de Victor, que teve traumatismo craniano. O acidente ocorreu em 23 de abril de 1998.
O pai de Victor, o engenheiro César Toledo Piza, passou todo esse tempo lutando contra a Igreja na Justiça. Quando não suportou mais os “abusos” e injustiças” dos dirigentes da Igreja Católica no Espírito Santo, decidiu trocar de religião: hoje ele e sua família frequentam a Igreja Maranata.
Em determinado momento da discussão, a Arquidiocesa de Vitória chegou a enviar um emissário para “negociar” com César uma indenização. O emissário teria oferecido R$ 2,2 mil à família do jovem, divididos em 10 parcelas.
Segundo o site de notícias Século Diário, neste ano de 2009 César aproveitou a presença do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) no Estado, que promoveu uma audiência pública, e levou seu caso à Corregedoria.
Em julho deste ano, a partir de uma decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que determinou a execução de tutela antecipada, a 2ª Vara Cível da Serra mandou bloquear duas contas da Igreja e fez o primeiro pagamento no valor de R$ 130 mil à família Toledo Piza.
A Igreja – que adora defender os excluídos dos outros, mas esquece dos seus – entrou com recurso no Tribunal de Justiça para proteger suas contas. Ofereceu como garantia à Justiça três salas no Centro de Vitória. Nada aceito.
No dia 5 deste mês de novembro, o TJ publicou parecer do desembargador Carlos Roberto Mingnone que negou o recurso interposto pela Mitra Arquidiocesana de Vitória, e manteve a decisão que condena a Igreja.
De acordo com César, o valor inicial das despesas com o tratamento de Victor, corrigido, salta de R$ 36.381 para R$ 154.529. Porém, como a decisão estabelece que a Igreja pague 60% da conta, o valor cai para R$ 92.717.
O valor inicial da ação por danos morais é de R$ 30 mil, corrigido salta para R$ 127.423. Já a pensão retroativa a abril de 1998 até setembro de 2009, corrigida de juros e correção monetária, chega R$ 490 mil.
A família de Victor Toledo Piza deverá receber, fora os R$ 130 mil já arrestados pela Justiça, mais R$ 600 mil. Segundo o Século Diário, no dia 20 deste mês um despacho da juíza Ana Cláudia Rodrigues de Faria Soares, da 2ª Vara Cível da Serra, indica que os cálculos da Contadoria concluem um débito no valor de R$ 479.432,71 a favor da família de Victor.
Diz parte do despacho da juíza: “Até que se prove o contrário, não há que se falar em equívoco ou bloqueio judicial exagerado de valores, como quer fazer crer a parte executada (Igreja)”.
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger