Governo dobra valor de premiação para policiais que apreenderem armas

O governador Renato Casagrande assinou decreto que dobra o valor da premiação para policiais civis e militares que apreenderem armas. O valor para a apreensão de uma arma de curto calibre, que antes representava um prêmio de R$ 200,00, passou para R$ 400,00.

Segundo a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), o valor máximo da premiação chega a R$ 1.200,00, para o caso da apreensão de um fuzil.

Ao obrar o valor da premiação, Casagrande dá início à política de valorização dos policiais. Ele tem dito para seus principais gestores da área de Segurança Pública que pretende adotar um sistema de premiar os policiais por produtividade.

A ideia do governo é estimular cada vez mais a polícia a retirar armas clandestinas das ruas. O Espírito Santo é um dos estados onde ocorrem mais homicídios no País. Fechou 2010 com quase 2 mil assassinatos.

Ainda esta semana o secretário da Segurança Pública, Henrique Herkenhoff, anunciará mais ações com o objetivo de reduzir a criminalidade, aumentar a sensação de segurança e tentar acabar com a impunidade. Uma das medidas será a instalação de terminais de computadores, com internet, para que qualquer cidadão possa registrar queixa de um crime. O governo já está chamando o sistema de Delegacia Online.

A Polícia Civil conta hoje com a sua DP Online. Mas o sistema só permite o registro de roubo, furto e perda de celulares e documentos; ou roubo e furto de veículos. Pelo plano do secretário Henrique Herkenhoff, a nova Delegacia Online vai permitir registrar qualquer crime.

Serão instalados computadores em pontos de grande aglomeração de pessoas, como shoppings e terminais do Transcol.

Outra medida que está sendo aguardada com ansiedade por policiais militares é a alteração na carga horária de trabalho da categoria. Na terça-feira (25/01), dirigentes da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado do Espírito Santo (ACS/ES) se reuniram com o novo comandante geral da PM, coronel Anselmo Lima, reivindicando alteração na carga horária e fazendo também outros pleitos.

Segundo um dos diretores da ACS/ES, Flávio Gava, o comandante Anselmo garantiu que haverá mudanças. Existe um estudo sendo realizado na corporação que poderá alterar a carga horária dos militares, passando de 12/24 e 12/48 para 12/24 e 12/72, mais as escalas especiais.
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger