Secretário da Segurança quebra princípio internacional de segurança pública

Ao declarar para o jornal A Tribuna que reduziu o policiamento ostensivo da Polícia Militar nas ruas porque a ostensividade não garante a segurança da população, o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social do Espírito Santo, Henrique Herkenhoff, foi corajoso, audacioso e, ao mesmo tempo, responsável pela quebra de um paradigma internacional.

O princípio fundamental internacional da segurança pública é justamente a ocupação territorial de forma ostensiva. Ao revelar, em entrevista nesta quarta-feira (14/09) ao jornal A Tribuna, que tem colocado policiais militares à paisana para fazer o policiamento nas ruas da Grande Vitória, Herkenhoff pegou todos os princípios de segurança pública mundial e os jogou por terra.


Para entender a reportagem de A Tribuna, visite o link abaixo desta postagem no Blog do Elimar, que abordou a falta de policiais nas ruas.

A declaração do secretário Herkenhoff preocupa o Alto Comando da PM – formado por coronéis –, embora o comandante da Corporação, coronel Anselmo Lima, prefere não se pronunciar sobre o assunto.

Mas oficiais de outras patentes colocam suas preocupações. É o caso do major Késio de Freitas, que é o presidente do Comitê Permanente da Associação de Defesa dos Direitos Humanos e Constitucionais dos Operadores de Segurança Pública (Addhucop):

“De fato, a declaração do senhor secretário da Segurança nos trouxe preocupação. Estamos, neste momento, vivendo uma escala ascendente nos índices de criminalidade e violência. A Polícia Militar tem que fazer ocupação ostensiva permanente, paralelamente com o trabalho da Inteligência (policiais que trabalham à paisana)”, disse o major Késio.

Para Késio, o secretário Herkenhoff  “é um homem bem intencionado, mas eu acredito que ele deve estar dando ouvidos a pessoas que não entendem muito de segurança pública. Falar que tem que reduzir a ostensividade, é um perigo”.

O major Késio detecta outro problema, que deverá, em breve, ser solucionado pelo governador Renato Casagrande: a falta de motivação da tropa.

“Juntando a desmotivação, por conta da desafagem salarial, com esse tipo de declaração, só serve para piorar nossa segurança pública”, explica o oficial.

O major Késio garante, no entanto, que apesar das declarações do secretário da Segurança Pública, a PM está atuante e trabalhando dentro de seu limite.

“A PM tem uma doutrina, que é a de dar proteção ao cidadão. Ela não vai mudar. A população pensa igual a nós, policiais militares: a sociedade precisa de mais segurança. E nós, policiais militares, estamos aqui para cumprir nosso papel constitucional, mesmo que, para isso, estejamos contrariando o pensamento do secretário da Segurança, que, repito, é um homem bem intencionado. Ele (Henrique Herkenhoff) pode estar sendo enganado por assessores que não entendem muito de segurança pública”, diz o major Késio.

Em tempo: Herkenhoff repete, de novo, estratégia e discurso de seu principal antecessor, Rodney Miranda. No governo Paulo Hartung, quando era cobrado para colocar mais policiais nas ruas, o secretário Rodney – que hoje é deputado estadual, tendo sido o mais votado nas eleições de outubro de 2010 –, alegava sempre que a população não sentia  sensação de segurança porque os policiais militares estavam trabalhando à paisana.
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger