Mudança na escala dos militares antecipou a queda do comandante geral da Polícia Militar capixaba

A mudança na escala dos policiais militares antecipou a exoneração do comandante geral da Polícia Militar, coronel Anselmo Lima. Ele, que já havia pedido para sair, deixaria o cargo em fevereiro de 2012, conforme combinado com o governador Renato Casagrande (PSB), quando completa tempo para ir para a reserva.


Entretanto, ao baixar portaria na quinta-feira (29/09) passada alterando a escala de serviço dos policiais – que passaram a ganhar mais dias de folga num mês, mas sem prejuízo do policiamento nas ruas –, o comandante Anselmo teria contrariado o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, Henrique Herkenhoff, que decidiu forçar o comandante da PM a antecipar em cinco meses a sua exoneração.

Na sexta-feira, o Blog do Elimar Côrtes informou em primeira mão sobre a mudança na escala de serviço dos militares. Veja informação no link http://elimarcortes.blogspot.com/2011/09/comandante-altera-escala-de-servico-dos.html

E, em junho deste ano, o Blog antecipou que o comandante Anselmo Lima havia entregue o cargo, em conversa com o secretário Henrique Herkenhoff. Na ocasião, o secretário disse que o coronel deveria se dirigir ao governador Casagrande, que foi quem o nomeou. Desde então, o clima entre o comandante geral da PM e o secretário da Segurança Pública só tem “azedado”.

Na segunda-feira de manhã, Henrique Herkenhoff telefonou para Anselmo Lima, indagando-o se ele estaria disposto a antecipar a saída do comando geral da PM. O coronel disse que “podemos conversar”.

Às 16 horas de ontem, Anselmo Lima foi chamado para uma reunião no Palácio Anchieta, desta vez já com o governador Renato Casagrande e o secretário da Segurança, quando foi comunicado que não seria mais o comandante geral da PM e que seu substituto é o coronel Ronalt Willian de Oliveira, cuja posse será na próxima segunda-feira.

De acordo com fontes do Palácio Anchieta, o secretário Henrique Herkenhoff teria se irritado, ainda na sexta-feira passada, quando soube da mudança na escala dos militares, pois não teria sido consultado pelo comandante geral da PM sobre a alteração.

No Quartel do Comando Geral da PM, somente o sucessor de Anselmo Lima, o coronel Ronalt Willian, sabia, ainda na segunda-feira durante o dia, que seria o novo comandante.

O nome que Anselmo queria emplacar para sucedê-lo era o do recém promovido coronel Leonardo Marchezi, comandante do Batalhão Ambiental e ex-coordenador do Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência (Proerd), do qual foi um dos criadores.

Nos últimos meses, Anselmo Lima vinha conversando quase que diariamente com Marchezi, ao mesmo tempo em que preparava também para o seu  cargo outro oficial, o ainda tenente-coronel Ruy Guedes Barbosa Júnior, que deverá ser promovido até o final do ano. Guedes é o atual comandante do 9° Batalhão (Cachoeiro).

O coronel Willian foi avisado pessoalmente pelo secretário Henrique Herkenhoff que seria o novo comandante-geral da PM. Ele chegou a responder uma brincadeira de um oficial, na segunda-feira, no QCH:

“Willian, você vai mesmo ser comandado pelo Marchezão – forma carinhosa como os oficiais chamam o coronel Leonardo Marchezi “. O coronel Willian piscou os olhos, deu um pequeno sorriso e respondeu:

“Hoje ainda você vai ver”.
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger