Parte II: Ledir Porto, um exemplo de superação de vida

O secretário de Defesa Social de Vila Velha, Ledir Porto, é Bacharel em Administração e pesquisador associado do Núcleo de Estudos Indiciários do Departamento de Ciências Sociais da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes). Foi vereador em Viana, de 2001 a 2004 e esteve à frente da Secretaria de Defesa Social da Serra entre 2005 e 2008. Nesta segunda parte de sua entrevista ao Blog do Elimar Côrtes, Ledir Porto revela que pretende detalhar em livro sua história de vida: pessoal e profissional. A primeira parte da entrevista especial com o secretário Ledir Porto está no link   http://elimarcortes.blogspot.com/2011/10/ledir-porto-fala-de-seus-projetos-e-da.html


Blog do Elimar Côrtes – Como o senhor se sente ao ver, diariamente, seu trabalho exposto de maneira positiva na imprensa?
Ledir Porto
– A exposição do trabalho é um combustível para produzir mais. (Neste momento da entrevista, o secretário Ledir Porto se emociona. Levanta-se da cadeira e pega, atrás de sua mesa, um dos troféus que ganhou na vida pública. É o troféu que representa o Prêmio Inovação na Gestão Pública do Estado do Espírito Santo, ciclo/2008, categoria Uso Eficiente dos Recursos Públicos, com o projeto “Olho Digital”).
  
Este troféu entra para a história da minha vida. A premiação foi um dos reconhecimentos mais importantes para mim, que foi entregue pelo então governador Paulo Hartung.

Passei por vários momentos difíceis em minha vida privada. Nunca escondi do público que já estive preso, já fui viciado em drogas. Em 1994, abandonei as drogas. Quando fui vereador em Viana, em 2000, os adversários políticos só sabiam dizer que eu havia sido um criminoso. Fui candidato a prefeito por Viana e perdi, mas nunca desisti, porque tenho Deus em meu coração e em minhas ações.

Como gestor público, ganhar um prêmio por ter utilizado de maneira eficiente recursos públicos, é uma bênção. É uma prova material da mudança em minha vida.

Meu sonho era que as pessoas reconhecessem que eu mudei. Hoje, as pessoas perguntam: como pode um ex-presidiário virar gestor público e ganhar um prêmio justamente por usar de forma eficiente os recursos públicos? Respondo que isso é possível com dedicação, trabalho, amor e, sobretudo, fé em Deus.

– O senhor acredita, então, que as pessoas podem mudar?
– Acredito que é possível mudar na vida, assim como é possível mudar uma rua, uma avenida, uma praça, um bairro, uma cidade, um Estado, um País. Pego minha própria história de vida e aplico na gestão pública. Assim, onde era uma cracolândia, é possível transformar em uma praça ou área de lazer.

Assim, demolimos o antigo prédio da Laura, conhecido ponto de prostituição e uso de drogas, em São Torquato, para ser transformado, em breve, num posto médico. Fico feliz e orgulhoso quando transformo algo negativo em positivo. Meu passado é um estímulo para travar uma luta contra as drogas. Este é, portanto, nosso maior desafio em Vila Velha: a luta contra as drogas.

– Um outro político importante que sempre deu apoio ao senhor é o senador Magno Malta. Quando e como começou a amizade de vocês?
– Eu me recuperei das drogas no projeto dele, que é o Projeto Vem Viver, em Itapemirim. O senador me apadrinhou na casa de recuperação. Quando saí de lá, recuperado da dependência química, ele me contratou como motorista. Trabalhei para ele entre 1995 e 98.

Em 2000, fui eleito vereador em Viana com o apoio dele. Foi com o apoio dele que me tornei secretário de Defesa Social na Serra, com o prefeito Audifax Barcelos.

– Sua história de vida dá um livro...
– Eu pretendo lançar um (livro), registrando, principalmente, as iniciativas que para mim são simples, mas que outros gestores acham difícil de fazer em prol da segurança pública. Trata-se de  mudança de espaço e da realidade. As iniciativas podem dar certo, desde que feitas com articulação e fé.

– Por que escrever um livro?
– O livro é para servir de exemplo para outros gestores. Vejam o exemplo de Vila Velha: até 2008, Vitória e Serra eram referência na área de segurança pública no Espírito Santo. Mas, a partir de 2009, Vila Velha deu um salto com a implantação de vários projetos.

Mas o Ledir Porto sozinho não faz nada. Tudo acontece graças ao conjunto. Temos apoio do prefeito (Neucimar Fraga), dos gerentes e demais servidores da nossa secretaria, dos gestores de demais órgãos e, o mais importante, da sociedade civil organizada.

Como diz a Constituição Federal, segurança pública é dever do Estado e responsabilidade de todos. A Marinha e o Exército também apóiam e participam de nossos projetos sociais.

– O senhor tem um trabalho sério na recuperação de dependentes químicos. Como consegue arrumar tempo para se dedicar a esse tipo de trabalho social?
– Com dedicação e amor à causa. Sou um dos diretores do Projeto Horta de Vida, que é um lar que abriga dependentes de drogas que estão dispostos a seguir um tratamento.

Uma outra casa já está sendo construída no local, que fica próximo do bairro Padre Gabriel, em Cariacica. É uma realização pessoal. Um dia eu fui ajudado; agora, chegou a vez de eu ajudar quem precisa e quer se recuperar do vício das drogas.

– Para um estreante, o senhor foi muito bem votado para uma vaga na Câmara Federal. Quais são seus planos para a política?

– Fiquei feliz com os mais de 46 mil votos que conquistei na eleição passada. Demonstrou que meu trabalho voltado para a melhoria da segurança pública é reconhecido pelo povo. Só disputei uma eleição para vereador e ganhei e perdi outra eleição para prefeito de Viana.

Para 2012, pretendo concentrar minhas forças na política de segurança pública de Vila Velha. Não vou ser candidato. Só farei uma avaliação sobre candidatura em 2014. A política eleitoral atrapalha a política pública.
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger