Menos de 300 são aprovados no concurso para soldados da PMES

O governo do Estado está diante uma nova polêmica com o concurso para soldados da Polícia Militar do Espírito Santo. Primeiro, teve que cancelar a primeira prova por conta da baderna provocada por alguns poucos vândalos que se inscreveram para o concurso e chegaram atrasados às provas. Agora, com a divulgação do resultado das provas objetivas, verificou que menos de 300 candidatos foram aprovados. O número de vagas no curso, segundo o edital, é de 650. Somente 295 foram aprovados para as próximas etapas.



O resultado final da prova objetiva (1ª etapa) do concurso público para o Curso de Formação de Soldados (CFSD/2011) da Polícia Militar foi divulgado nesta terça-feira (31). Segundo o site da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), os aprovados estão convocados para o início da segunda etapa (Teste de Avaliação Física – TAF), que será realizada nos dias 4 e 5 de fevereiro.

De acordo com o cronograma do concurso, o resultado provisório do TAF será dia 13 de fevereiro e os recursos contra a inaptidão serão nos dias 14 e 15 do mesmo mês.

Ainda segundo o site da Sesp, o resultado final do Teste de Avaliação Física e a convocação para a 3ª etapa (avaliação psicológica) será dia 17 de fevereiro. O TAF será realizado com os exercícios de teste dinâmico de barra, abdominal remador e corrida, 3.200 metros para homens, e para mulheres, 2.800 metros.

O concurso para o ingresso na PMES é feito em sete etapas, sendo a última o Curso de Formação, com duração de até nove meses. O subsídio bruto enquanto aluno é de R$ 1.023,32, que depois de formado passará a R$ 2.421,76.

O presidente da Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Estado do Espírito Santo, Jean Ramalho, já iniciou negociação com o governo do Estado para propor modificação no edital o que, segundo ele, já encontra amparo legal no Superior Tribunal de Justiça.

“O interesse público é maior. Sendo assim, vamos propor ao governo que considere 50 pontos a nota mínima, e não 60 pontos como determina o edital”, explicou Ramalho.

A Sesp ainda não tinha posição sobre o assunto até a noite desta terça-feira. O secretário da Segurança, Henrique Herkenhoff, encontra-se em Brasília. Nesta quarta-feira (01/02) deve sair uma solução para o impasse. Pode ser que o governo do Estado anuncie a realização de um novo concurso, para o preenchimento das vagas.
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger