Governador tranqüiliza moradores de morros que enfrentam guerra do tráfico: “Não precisam ter medo, porque a polícia está presente”

O governador Renato Casagrande e seu secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Henrique Herkenhoff, mais uma vez não fugiram de suas responsabilidades e deram explicações públicas sobre a guerra entre traficantes de morros de Vitória, que culminou na ocupação por parte do Batalhão de Missões Especiais da Polícia Militar e da Rotam nos Bairros da Penha, Itararé e São Benedito.

A ocupação ocorre após tiroteios entre traficantes. O reforço dos militares chegou à região na segunda-feira (26/03) e permanecerá enquanto houver necessidade. Normalmente, o policiamento nesses locais é feito por policiais do 1° Batalhão (Vitória), que também se encontram na repressão aos criminosos.

No Morro São Benedito, moradores ficaram sem ônibus e o comércio, escolas e postos médicos fecharam as portas desde o final de semana, por conta da guerra do tráfico.

Em entrevista à CBN, Renato Casagrande afirmou que o trabalho ostensivo da Polícia Militar, com o aumento do efetivo, a restruturação da Polícia Civil e as ações do Programa Estado Presente, que atua com ações de segurança e sociais em áreas vulneráveis, devem provocar mudanças no Estado.

Já quanto aos relatos de moradores de áreas em que há disputa pelo tráfico de drogas, como São Benedito, Itararé e Bairro da Penha, o governador afirmou que as pessoas não precisam ter medo de sair de casa ou das imposições de traficantes, uma vez que o local está ocupado pela polícia.

"As pessoas não estão escondidas, não vão ficar escondidas. A polícia está presente na rua para dar segurança  e tranquilidade às pessoas. A presença do BME e do 1° Batalhão da PM é uma resposta à população que precisa de nós neste momento",disse Casagrande, à CBN.

Para o programa Bom Dia Espírito Santo, da TV Gazeta, o governador assegurou que as forças policiais permanecerão nos morros já ocupados por tempo indeterminado durante as 24 horas. Afirmou que não vê necessidade, por enquanto, de instalar no Espírito Santo Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs), como existem no Rio:

"Posso assegurar que não existe lugar no Espírito Santo em que a polícia não entra", afirmou Renato Casagrande.

O secretário Henrique Herkenhoff também manteve o mesmo tom de tranqüilidade para a população. Ele assegurou que os moradores não precisam ter medo e levar a vida normalmente.


Policiais militares que participam da ocupação em São Benedito e no Bairro da Penha relatam que, até bem pouco tempo, traficantes dos dois bairros viviam em harmonia. A guerra dos bandidos dos dois bairros era sempre contra criminosos de Gurigica, Consolação e Juburu.

Há menos de um mês, porém, o novo chefe do tráfico do Bairro da Penha, conhecido como Kaká, passou a ter outro comportamento e tratar como rivais os traficantes de São Benedito.

Kaká é irmão do também traficante Carlos Roberto Furtado da Silva, o Nego Beto, que se encontra preso em um presídio de segurança máxima, em Viana, desde 2008. Nego Beto, mesmo de dentro da prisão, continua comandando o tráfico de drogas no Bairro da Penha.

Já os bandidos de São Benedito são controlados pelo traficante Joãozinho da Doze. Graças a conversas telefônicas de Joãozinho da Doze com seu bando, a Polícia Civil e o Grupo Especial de Trabalho Investigativo (Geti), do Ministério Público Estadual prenderam, em 16 de dezembro de 2011, um investigador da Polícia Civil, um policial militar e um servidor público da Prefeitura de Vitória, acusados de integrar a gangue.
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger