Trabalho da perícia papiloscópica ajuda Polícia Civil a prender quadrilha que seqüestrava vítimas na Reta da Penha

Um perfeito trabalho do setor de perícia  papiloscópica da Superintendência de Polícia Técnico Científica da Polícia Civil ajudou a Divisão de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio a prender uma quadrilha que seqüestrava vítimas no estacionamento de um estacionamento localizado  na avenida Nossa Senhora da Penha (Reta da Penha), na região da Praia do Canto. Duas das últimas vítimas dos bandidos são policiais civis.


Na ação desta quarta-feira (04/04), em que cinco suspeitos foram presos no bairro Itararé – próximo do local onde o bando agia –, um policial civil da Divisão de Repressão a Crimes Contra o Patrimônio foi ferido.

Nesta semana, cinco pessoas teriam sido vítimas do bando no estacionamento do hipermercado. Depois de rende as vítimas, os criminosos as levavam para outros locais,onde as torturavam e praticavam o assalto – levavam jóias, relógios,  dinheiro, cartões de créditos, celulares e outros pertences.


O presidente da Associação dos Peritos  Papilocópicos do Estado, Antônio Tadeu Nicolettii, lembra que na semana passada uma perita papiloscópica foi vítima de um sequestro relâmpago no estacionamento do hipermercado Wall Mart, onde a gangue presa nesta quarta-feira agia.

“Cobramos publicamente da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social porque não fomos chamados para periciar o carro da colega, que foi encontrado abandonado”, disse Tadeu Nicoletti. Ele acrescentou:

“Ontem (03/04), outra colega policial, a cantora Graciella De Ferraz, foi sequestrada no mesmo lugar e da mesma forma. Desta vez,a perícia foi acionada. Periciamos o carro dela, que foi encontrado mais tarde. Resultado: os peritos papiloscópicos conseguiram um vestígio que levou ao nome, endereço, foto etc de um dos bandidos. Nesse momento, estão presos num trabalho fantástico dos policiais da Patrimonial. Agora, há provas técnicas contra esses marginais que submeteram duas policiais a todo tipo de tortura psicológica, além de várias outras pessoas”.

De posse dos serviços levantados pela perícia e também com base em suas próprias investigações, policiais da Divisão de Patrimônio passaram a monitorar os criminosos.


Uma equipe de policiais civis montou um cerco no bairro Itararé. Os criminosos seguiam pela avenida Robert Kennedy no veículo Renault Sandero, placas ODG 2688, quando foram interceptados pelos investigadores em uma ladeira. Houve troca de tiros e um policial civil foi ferido na mão esquerda. Ele foi socorrido e levado para o Hospital São Lucas, onde passa por uma cirurgia. Seu estado de saúde é tranqüilo.

Os cinco bandidos presos participaram do sequestro relâmpago de uma policial civil. Os criminosos roubaram dela um tablet, um celular, o carro e a pistola. A policial foi deixada próxima ao Centro de Convenções de Santa Lúcia quase duas horas depois.

O carro da policial foi localizado em Nova Almeida, na Serra, e a chave do veículo estava junto com um dos acusados preso no cerco policial em Itararé.

Uma equipe do Grupo de Operações Táticas (GOT) da Polícia Civil e policiais militares ajudaram no cerco feito em Itararé.

 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger