Denúncia de corrupção no Iases: Ângelo Roncalli vai deixar o cargo a qualquer momento

Embora não diga publicamente, o governador Renato Casagrande (PSB) já decidiu: Ângelo Roncalli vai ser exonerado a qualquer momento da Secretaria de Estado da Justiça. Roncalli é apontado pela Polícia Civil como um dos responsáveis por suposto desvio de dinheiro do  Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases).

Era ele, segundo descobriu a Força Tarefa designada pelo próprio governador, o responsável por dar a assinatura final para a realização de contratos irregulares com a Acadis.

De acordo com fontes próximas a Casagrande, o governador espera, nas próximas horas, por um gesto mais simples e humilde por parte do secretário de Justiça, que é o de ele próprio entregar o cargo. Se isso não acontecer, Renato Casagrande vai demiti-lo.

Segundo assessores mais próximos, Casagrande teria ficado bastante irritado ao descobrir, pelas investigações da Polícia Civil, que seu secretário de Justiça não só sabia das irregularidades ocorridas no Iases, bem como teria participado de supostos esquemas de corrupção.

O governador ficou aborrecido também pelo fato de Roncalli, em primeiro momento, ter “mentido” para ele, afirmando que desconhecia as irregularidades:

“O governador detesta mentira”, disse uma fonte do Palácio Anchieta. “Quando isso (mentira) acontece, ele perde a confiança nas pessoas”.

Roncalli foi secretário de Justiça desde parte do primeiro governo de Hartung, continuou quando PH foi reeleito e permaneceu com Casagrande.

Ainda segundo interlocutores mais próximos de Casagrande, o governador já teria escolhido o substituto de Ângelo Roncalli. Seria o atual subsecretário de Estado da Justiça Para Assuntos Penais, o promotor de Justiça Sérgio Alves Pereira.

É bom que se diga: o subsecretário Sérgio Alves Pereira não tem qualquer vinculação com a ex-presidente do Iases Silvana Gallina, que está presa pela acusação de liderar suposta corrupção no Instituto. O contato de Silvana sempre foi com o secretário Roncalli, conforme revelam as investigações da Força Tarefa, comandada pelo delegado Rodolfo Laterza.

O governador Casagrande disse, segundo A Gazeta deste sábado (08/09), que iria manter Ângelo Roncalli no cargo até que o pedido de indiciamento no caso da Acadis passe por uma análise do Ministério Público Estadual. Diferente do que pensa o governador, o inquérito não está em segredo de Justiça.

Segundo a Polícia Civil, Ângelo Roncalli teria participado do esquema de desvios de recursos públicos do Iases. A conclusão está no  relatório final  da Operação Pixote.



 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger