Até policiais militares de folga ajudam no resgate às vítimas das enchentes no Espírito Santo

Tem sido incansável o trabalho dos órgãos de defesa civil e de segurança pública do Espírito Santo no socorro às vítimas das tragédias provocadas pela falta de estrutura dos municípios capixabas, que não conseguiram neutralizar os efeitos das fortes chuvas em seus territórios. Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal, Força Nacional de Segurança, Força Aérea Brasileira, Exército e Marinha, além das Guardas Municipais, não cruzam os braços em nenhum instante.

Na Polícia Militar, por exemplo, o comandante geral da corporação, coronel Edmilson dos Santos, acompanha todo o trabalho da tropa durante 24 horas. Até policiais militares de folga vestiram a farda e estão nas ruas ajudando a população.

No Corpo de Bombeiros, o seu comandante, coronel Edmilton Ribeiro Aguiar Júnior, tem permanecido diuturnamente o Quartel Geral da unidade, de onde comanda pessoalmente as operações em todo o Estado. A chuva, neste sábado (28/12), deu uma trégua, mas o trabalho das forças policiais não cessa.

O secretário de Estado da Segurança Pública, André Garcia, é outro incansável. Desde os primeiros momentos das fortes chuvas, ele tem se reunido com os comandantes militares e coordenadores da Defesa Civil para acompanhar os trabalhos de socorro às vítimas e entrega de donativos, como remédios, alimentos, água potável, roupas e outros produtos à população de todo o Estado.

Pelo interior afora, os comandantes de Batalhões da PM passam a maior parte dos dias circulando pelas regiões, junto com policiais militares na ajuda aos bombeiros e também resgatando vítimas, seja em viaturas ou nos helicópteros da Polícia Militar.

Diariamente, os oficiais mantêm o comandante geral Edmilson dos Santos informado das ações empregadas em todas as regiões do Espírito Santo, como se observa nos relatórios abaixo:

Comando da PM em Linhares do dia 20 de dezembro: No período diurno aumentamos o efetivo de Rio Bananal com apoio de viaturas e efetivo do Policiamento Rural da Unidade, totalizando 12 policiais militares. O recebimento de doações está sendo coordenado pela Prefeitura e a Igreja Católica do município, inclusive com o apoio do promotor de justiça, Adriani. Houve muitas doações para os desabrigados, vindo de várias partes do Estado. Segundo o promotor de Justiça, todos os necessitados receberam as doações, restando uma grande quantidade aguardando para ser distribuída para outros necessitados fora do município, caso o prefeito entenda que não seja mais necessário distribuir para a população.

Informações do dia 20 de dezembro do 2° e 11º BPM: Em Nova Venécia, eram até então 215 desabrigados, 250 desalojados; alagamentos na Av. São Mateus; uma casa desabou no centro; 1 homem morreu afogado; 4 casas foram destruídas em São Gonçalo, zona rural; o Distrito mais atingido foi Guararema; também o Patrimônio de Luzilândia. Uma aeronave do Notaer se encontra na Unidade auxiliando no socorro aos necessitados e transportando água e alimentos para as pessoas nas áreas inundadas. O 2º BPM tem sido um ponto de arrecadação de roupas, cestas de alimentos e colchões. O nível do rio Cricaré está baixando e a PM participa  das ações com aproximadamente 30 policiais diariamente, de serviço e voluntários de folga.

Na área do 11º BPM (Barra de São Francisco), durante todo o dia 19/12 cerca de 70 policiais se apresentaram para dar apoio aos desabrigados. Importante frisar que os militares do 11º BPM atuaram com o Corpo de Bombeiros e Defesa Civil durante os piores momentos das enchentes, pois a defesa civil municipal não dispunha de nenhum equipamento para realizar o apoio devido, e os bombeiros só conseguiram chegar a Barra de São Francisco no final da tarde do dia 19, quando já havia sido feito o resgate dos desabrigados, pois os bombeiros haviam ficado presos em Águia Branca, não conseguindo chegar pela rodovia.

Os policiais utilizaram seis barcos de particulares para resgatar as pessoas. Teve uma vitima das enchentes em Vila Paulista. A PM está recolhendo doações e levando para as igrejas que estão dando o apoio de distribuição à Defesa Civil.

Comando do 5° BPM (Aracruz): Na região do 5º BPM os problemas foram mais pontuais e não tão graves. A ação da PM foi mais necessária em João Neiva e Vila do Riacho. Em João Neiva foram utilizados diariamente 15 policiais, sendo alguns voluntários em sua folga. Ajudaram a retirar moradores em locais de risco, bloquear vias e a evitar saques.

Em Vila do Riacho foram usados oito policiais, sendo alguns de folga. Trabalharam no resgate de algumas pessoas ilhadas, no abrigamento e prevenção ao saque.

Fora este quantitativo, tivemos 20 policiais de prontidão por dia e mais os 45 novos soldados, caso houvesse uma emergência. A Defesa Civil de Aracruz foi muito atuante, minimizando a necessidade de utilização da PM.

Comando da 8ª Companhia Independente (Santa Tereza): A situação na área da Oitava Cia encontra-se a mesma, ou seja, não houve nenhum outro incidente. A comunicação telefônica nos municípios de Itaguaçu, Itarana e Santa Leopoldina está precária. Na parte da manhã a rodovia de acesso a Itarana foi interrompida para retirada de barreiras.  Itaguaçu conta com efetivo diário de 15 a 20 militares, entre Força Nacional, Cavalaria, Bombeiros Militares e efetivo local. Além destes há aproximadamente 30 voluntários para apoio nos dois municípios. A sociedade em geral está se mobilizando para ajudar.

Comando do 2° BPM (Nova Venécia): Em São Gabriel da Palha: 100 (cem) pessoas ficaram desalojadas; 01 (uma) casa e 01 (uma) ponte desabaram. Trabalharam aproximadamente 20 (vinte) Militares Estaduais, sendo que 15 (quinze) estavam de folga; alguns utilizaram motocicletas e veículos particulares para se deslocarem aos locais de ajuda a população desabrigada e desalojada. Verificou-se que apenas a 3º sargento MARIA APARECIDA RAMOS, lotada no DPM de Vila Valério, ficou desalojada, pois seu imóvel residencial foi invadido pelas águas, no Bairro Cachoeira da Onça, em São Gabriel da Palha.

Em Vila Pavão: 03 (três) famílias ficaram desalojadas. A ponte da localidade denominada Conceição do XV (Cascudo), que dá acesso ao município de Ecoporanga está parcialmente desativada para a passagem de veículos. Foram empregados o efetivo diário e o 3º Sgt PM JOSÉ CARLOS CAMPOS SARMENTO, prestou relevante serviço durante a calamidade, ficando todos os dias na sede do DPM, auxiliando nos trabalhos de atendimento a população e aos demais colegas de trabalho.

Em Nova Venécia: 01 homem morreu afogado, há 215 pessoas desabrigadas, 250 desalojadas; 6 (seis) casas foram destruídas; 01 (uma) ponte e 01 (uma) passarela no rio Cricaré foram arrastadas pela correnteza e 01 (um) prédio que ameaça ruir está interditado pela Defesa Civil. Foram empregados aproximadamente 30 Militares Estaduais diariamente e com a chegada do reforço dos novos soldados que estão empregados na Operação Verão, cedidos pelo Comando do Policiamento Ostensivo Norte, possibilitou uma melhor prestação de serviço à comunidade Veneciana.

No dia 26.12.2013, com as informações de que a chuva havia se intensificado em Minas Gerais, provocando enchentes especialmente em Barra de São Francisco, a Defesa Civil adotou providências, alertando os comerciantes e moradores de Nova Venécia, de que provavelmente haveria novo alagamento, tendo o comércio fechado às 16 horas e prontamente montado barreiras de contenção e retirados de produtos dos estabelecimentos localizados no centro da cidade e as margens do rio Cricaré.


 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger