Delegado Darcy Arruda vai para a Secretaria de Estado da Segurança Pública

O corregedor geral de Polícia Civil, delegado José Darcy Arruda, será o novo subsecretário de Estado de Inteligência e Integração Correicional da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social. Entrará no lugar do delegado aposentado de Polícia Federal Nilton Souza Siqueira, que foi exonerado, junto com o assessor Especial da Sesp, coronel Ronalt Willian. Arruda deve assumir o cargo a qualquer momento.


Ao nomear um delegado de Polícia Civil para a Sesp, o governador Renato Casagrande resgata uma antiga tradição, quebrada por seu antecessor – Paulo Hartung – em vários momentos dos oito anos de gestão e também por si próprio.

Casagrande, praticamente, desconhecia que o secretário de Segurança Pública do Estado sempre trabalhava com um coronel da Polícia Militar e um delegado de Polícia Civil – dois profissionais que conhecem a realidade do Estado – junto ao seu gabinete.  Fica mais fácil, tendo representantes das duas polícias na Sesp, uma interlocução com as duas Polícias. Foi o tempo em que ter um delegado federal no staff da segurança pública estadual era sinal de eficiência e prestígio.

Por serem de outros estados, os últimos secretários de Segurança trazem profissionais de fora, o que é um equívoco – inclusive, André Garcia, o atual mandatário da Sesp, é de Pernambuco. Estes profissionais, geralmente, não sabem nem onde fica Itanhenga ou Feu Rosa ou Cangaíba. Profissionais de fora conhecem muito a Praia da Costa, Praia do Canto, Itapoã...Aí fica difícil combater a violência.

De acordo com fontes do Palácio Anchieta, foi o próprio governador Renato Casagrande quem se reuniu com o secretário André Garcia para anunciar sua pretensão em resgatar a tradição de colocar na Sesp um delegado de Polícia Civil. E o nome escolhido foi o de Darcy Arruda, profissional com vasta ficha de serviços prestados ao Estado.

Dificilmente haverá um substituto para a vaga do coronel Ronalt Willian, também exonerado nesta terça-feira (04/02). O cargo que ele ocupava – Assessor Especial da Sesp – existia somente no papel. Foi criado apenas para mantê-lo em evidência, já que é pré-candidato a deputado federal, após ser exonerado do cargo de comandante geral da PM.

Já na reserva, Ronalt Willian recebia apenas o salário de coronel aposentado: teve que abrir mão da remuneração como Assessor Especial de André Garcia, porque, se recebesse salário, seus vencimentos ultrapassariam o teto estipulado por lei e ele seria melhor remunerado do que o próprio governador. Ou seja, a função de Ronalt Willian não tinha qualquer atribuição prática para o bem da sociedade.

Nota do Blogueiro: O nome do delegado Darcy Arruda é excelente para atuar na Sesp. Tem prestígio na sociedade na categoria. Pode ajudar o governo do Estado a reconquistar a confiança dos delegados de Polícia Civil, quebrada por ato do secretário de Segurança, André Garcia, ao exonerar o delegado Rodolfo Laterza do Núcleo de Repressão às Organizações Criminosas e Corrupção (Nuroc), no momento em que o delegado concluía investigação de suposta corrupção no sistema prisional.  

 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger