Ministério Público denuncia ex-prefeito e agora deputado federal eleito Helder Salomão pela acusação de suposto envolvimento com a Máfia dos Táxis de Cariacica

O deputado federal eleito Helder Salomão (PT), que foi diplomado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE) na tarde desta sexta-feira (19/12), acaba de ser denunciado pelo Ministério Público Estadual pelo suposto envolvimento com a Máfia dos Táxis de Cariacica.

Helder foi prefeito de Cariacica por dois mandatos – de 2005 a 2012 –, período em que grande parte das irregularidades teria acontecido. O ex-prefeito já havia sido indiciado  criminalmente pela Polícia Civil pela acusação dos mesmos crimes apontados agora pelo Ministério Público.

Helder Salomão, no entanto, já entrou com um pedido de Habeas Corpus Preventivo junto ao Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo em que pleiteia que o Juízo da 1ª Vara Criminal de Cariacica, onde tramita a denúncia do Ministério Público – que ainda não foi acolhida pelo Juízo –, não decrete sua prisão. O HC Preventivo solicitado pelo deputado federal diplomado tramita em segredo de Justiça na 1ª Câmara Criminal.

Fontes do Ministério Público Estadual e da Polícia Civil confirmaram ao Blog do Elimar Côrtes o suposto envolvimento  do ex-prefeito Helder Salomão com as irregularidades na concessão de placas de táxis em Cariacica. No entanto, alegaram que não poderiam dar mais informações por conta do segredo de Justiça.

O segredo foi decretado desde o início das investigações porque testemunhas e autoridades envolvidas nos trabalhos da polícia e do MP teriam sido ameaçadas por integrantes da máfia antes de serem presos. Porém, uma fonte revelou que o deputado federal diplomado Helder Salomão teria sido denunciado por crimes como fraude em licitação, falsidade de documentos e outros delitos.

Os delegados e investigadores da Delegacia de Delitos de Trânsito chegaram até o nome do ex-prefeito Helder Salomão por meio de documentos apreendidos durante a Operação Trânsito S/A e por depoimentos dos indiciados. Segundo uma fonte da Polícia Civil, “em alguns dos  depoimentos o nome de Helder é mencionado”.

Até meados deste ano, Helder Salomão foi secretário de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos. Deixou o governo de Renato Casagrande para se candidatar a uma vaga na Câmara Federal.


Saiba Mais

No dia 23 de setembro deste ano, a Polícia Civil realizou a Operação Trânsito S/A. Mais de 20 pessoas foram presas e indiciadas pela acusação de integrar a Máfia dos Táxis. A operação foi comandada pelos novos  delegados da Delegacia de Delitos de Trânsito da Polícia: Maurício Gonçalves da Rocha e Alberto Roque Peres.

Eles tiveram o apoio do Grupo de Operações Táticas, delegado Eduardo Carvalho Khaddour, e do secretário de Defesa Social Municipal de Cariacica, delegado de Polícia Civil Fabrício Dutra.

A Polícia Civil e o Ministério Público investigaram irregularidades na permissão de placas de táxis no âmbito do município de Cariacica. Os táxis de Cariacica, legalizados e clandestinos – ambos têm as mesmas características, inclusive placas, adesivos da Prefeitura, taxímetro e o aparelho em cima do veículo com a identificação de “táxi” –, circulam por toda a Grande Vitória.

Os táxis clandestinos recebiam as mesmas características  dadas aos legalizados de maneira fraudulenta. Cada placa clandestina custava de R$ 60 mil a R$ 200 mil. O preço variava de acordo com a praça do táxi.

As investigações foram concluídas pela nova equipe da Delegacia de Delitos de Trânsito porque os carros clandestinos obtiveram permissão para circular como táxis por meio de corrupção e não estão cadastrados nem na Prefeitura de Cariacica e nem no Detran.

As supostas irregularidades, entretanto, atravessaram administrações. Houve uma tentativa de continuidade na atual gestão do prefeito Juninho por  parte de alguns servidores. Todavia, logo de cara Juninho e seu secretário de Defesa Social, Fabrício  Dutra, descobriram as supostas fraudes e afastaram o então coordenador de Trânsito da Prefeitura, Mário Rogeli – que também, foi preso. Rogeli era o coordenador do setor que autorizava concessão de táxi em Cariacica.

Fabrício Dutra conversou com o prefeito Juninho e ambos entenderam, para o bem das investigações – que na ocasião já vinham sendo desenvolvidas pelo Ministério Público Estadual –, transferir Mário Rogeli para outro setor, para não levantar suspeita de que o servidor era alvo de investigação policial. Porém, foi aberta uma investigação administrativa sumária, que concluiu que Rogeli tinha uma conduta ilícita. E ele acabou sendo exonerado.

Em entrevista ao Blog do Elimar Côrtes em 23 de setembro, logo após a Operação Trânsito S/A, o secretário Fabrício Dutra revelou que, quando Juninho assumiu a Prefeitura, em janeiro de 2013, encontrou o setor de liberação de placas de táxi em situação irregular. A administração anterior de oito anos – o prefeito era o petista Helder Salomão – concedia placas de táxi sem licitação.

“Ao assumir o cargo, o prefeito Juninho suspendeu todos os tipos de permissão para novos táxis. Mas, infelizmente, o ex-coordenador Mário Rogeli continuou liberando placas, adotando outro modus operandi: ele fazia, junto com os demais integrantes da máfia, a clonagem de placas e ainda não recolhia tributos para o Município”, informou Fabrício Dutra na ocasião.

“Antes da posse do Juninho, havia pelo menos pagamento de taxas por parte dos novos donos de placas, que eram liberadas sem licitação pública”, completou o secretário na mesma entrevista.

Outro lado

Este Blog procurou o deputado federal eleito Helder Salmoão, por meio de seu ex-secretário de Comunicação e de Gabinete Institutcional, mas até as 21h50 desta sexta-feira (19/12) o ex-prefeito não havia sido localizado para se posicionar sobre a denúncia feita contra ele pelo Ministério Público. A qualquer momento Helder falará sobre o assunto.

 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger