Gracimeri Soeiro não aguenta pressão externa, atende pedido de delegado-corregedor e mantém afastado delegado que tentou investigar crimes em casas de shows em Guarapari

A nova chefe de Polícia Civil, delegada Gracimeri Soeiro Gaviorno, não aguentou. Depois de ser elogiada por este blog e por lideranças dos policiais civis por ter suspendido o afastamento sumário e injusto do delegado David de Santana Gomes,  sem uma devida investigação preliminar, ela recuou e anunciou que o profissional continuará afastado de suas atividades e não mais será transferido para Cachoeiro de Itaperimirim. David foi afastado depois de ir com sua equipe a uma casa de shows de Guarapari para investigar uma série de crimes.

Oficialmente, a chefe de Polícia, Gracimeri Soeiro, atende a um pedido do delegado-corregedor que preside o Processo Administrativo Disciplinar (PAD) aberto contra David Gomes. O presidente do PAD teria pedido mais tempo para conclusão do PAD. O corregedor geral de Polícia Civil, delegado João Batista Calmon, encontra-se de férias e está sendo substituído pelo delegado  Ailton Miguel Schaeffer.

Extraoficialmente, no entanto, os comentários nos bastidores da Chefatura de Polícia Civil são de que a nova chefe, Gracimeri Soeiro, acabou cedendo às pressões externas. As informações já apuradas em ‘off’ por um grupo de delegados dão conta de que um dos dirigentes da casa de shows seria amigo de um prefeito do Estado, com livre trânsito na polícia, e o prefeito teria pressionado autoridades do governo a fazer com que a delegada Gracimeri recuasse em sua decisão.

O recuo da delegada Gracimeri deve ser publicado no Diário Oficial de segunda ou terça-feira. Para entender o assunto, leia o link http://elimarcortes.blogspot.com.br/2015/01/nova-chefe-de-policia-civil-corrige.html


Nota do blogueiro

A nova chefe de Polícia, Gracimeri Soeiro, um dia entenderá que esse tipo de decisão não se volta atrás de imediato, mesmo que seja para atender ao capricho de um delegado que preside o PAD ou a imprensa. Passa para os seus comandados uma certa fragilidade, algo que, até então, ela mantinha afastado de seu perfil. Não se pode recuar numa importante e justa decisão para agradar a imprensa. Com o gesto, Gracimeri Soeiro põe em risco uma carreira promissora de um jovem profissional, que entrou para a Polícia Civil porque gosta da carreira de Delegado. Gracimeri Soeiro repete, assim, seu antecessor, Joel Lyrio Júnior: primeiro indicia, denuncia, julga e condena um profissional de Polícia; depois é que vem a investigação.

Se esse tipo de procedimento inadequado e injusto acontece em desfavor de um delegado de Polícia Civil, imagina o que não pode ocorrer nos corredores das delegacias com um cidadão comum, que desconhece a lei?
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger