Na posse do novo comandante geral da Polícia Militar, Hartung defende integração para disseminação da cultura e política de paz na sociedade capixaba

A Polícia Militar do Espírito Santo (PMES) tem um novo comandante geral. Trata-se do coronel Marcos Antônio Souza do Nascimento, que assumiu o comando durante uma solenidade realizada na noite de quinta-feira (15/01), no Quartel do Comando Geral (QCG), em Maruípe, Vitória. Ele entra no lugar do coronel Edmilson dos Santos, que, em seu discurso de despedida, fez questão de enaltecer a união do Alto Comando em sua gestão. Já o governador Paulo Hartung (PMDB) voltou a defender a integração das forças de segurança pública, em conjunto com demais órgãos do governo, como forma de espalhar a cultura da paz pelo Estado.

Além de Hartung, o secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), André Garcia, a nova chefe de Polícia Civil, delegada Gracimeri Sopeiro, entre outras autoridades, estiveram presentes na cerimônia  de transmissão de cargo.  Ritos militares, como a revista à tropa, entrega da espada ao novo comandante geral e desfile militar marcaram a cerimônia.

O coronel Edmilson dos Santos deixou o cargo que permaneceu por um ano e oito meses. Ele havia assumido o comando no dia 17 de maio de 2013. Em suas palavras, coronel Edmilson agradeceu pela oportunidade de comandar a PMES e disse que deixa o comando da corporação com tranquilidade, pois a Polícia Militar é uma instituição altamente preparada.

O novo comandante, coronel Marcos Antônio, vai manter as diretrizes da Polícia Militar e que vêm dando resultados positivos. Dentre elas, se destacam a aproximação da PM com comunidade capixaba e a integração com a Polícia Civil, Judiciário, Ministério Público e demais forças de segurança.

Como é tradição na caserna, somente o comandante que sai faz discurso. O que entra, no entanto, concede apenas entrevista. Foi o caso do coronel Marcos Antônio, que, após a solenidade, disse que as prioridades serão intensificar o enfrentamento da violência, reduzir os índices de homicídios no Estado e fortalecer o serviço de Inteligência policial:

“As agências de Inteligência produzem  conhecimento. O levantamento de informações mais apuradas auxilia os comandantes na tomada de decisão. Isso torna o trabalho da polícia mais eficiente”, diz Marcos Antônio, que esteve à frente da Diretoria de Inteligência (Dint) da PM por dois anos – vai ser substituído justamente por seu antecessor no comando geral  da Polícia Militar, o coronel Edmilson dos Santos – que já havia sido diretor da Dint antes de se tornar o comandante da corporação.

Em seu discurso, o governador Paulo Hartung afirmou que a Polícia Militar pode ter certeza que contará com a presença de toda equipe de governo  nas ações diárias para implantação da cultura da paz:

"Precisamos fazer com que as instituições ligadas à segurança pública atuem de forma conjunta na disseminação da cultura e política de paz na sociedade. A integração é fundamental. Recentemente o País experimentou uma postura inovadora  onde a União mudou de postura e assumiu em eventos específicos a questão da segurança pública. Cito como exemplo a visita do Papa Francisco, Copa das Confederações e Copa do Mundo. Estou esperançoso com a perspectiva de que o Governo Federal atue de forma mais ativa na segurança pública", pediu Hartung.

Durante sua fala, o governador elogiou o discurso do ex-comandante Edmilson dos Santos, afirmando ter sido o melhor discurso já ter ouvido dentro do quartel, mesmo após os oito anos de seus dois governos anteriores.

“A união do Alto Comando foi imprescindível para que pudéssemos tomar decisões mais seguras, eficientes e eficazes”, agradeceu o coronel Edmilson dos Santos

Ao deixar o comandado geral da Polícia Militar, o coronel Edmilson dos Santos agradeceu a todos que estiveram ao seu lado durante todo o tempo de administração. Suas palavras também foram refletidas por meio de um louvor. “Campeão vencedor, Deus da asas faz teu vôo. Campeão vencedor, essa fé que te faz imbatível. Te mostra o teu valor”, dizia o hino que foi tocado pela Banda de Música da PMES, sendo entoado por um grupo de cantores. Abaixo, a íntegra o discurso do ex-comandante Edmilson dos Santos:

“Neste momento em que encerro a jornada mais importante da minha carreira, não posso negar que habita a minha alma uma diversidade de sentimentos; mas posso garantir que dentre eles sobressai o sentimento de gratidão. Eu poderia elencar as realizações alcançadas pela PMES nesse período em que a comandei, mas fazendo assim talvez estivesse tornando individual um mérito que na verdade é coletivo, pois muitos trabalharam com perseverança por nossa polícia e pela sociedade capixaba. Sendo assim, preferi restringir minha breve fala apenas a agradecimentos àqueles que na caserna ou na minha vida particular foram fundamentais para eu alcançar o Comando Geral da Polícia Militar e para conduzi-la dentro das minhas limitações.

Agradeço ao Sr. Secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Dr. André de Albuquerque Garcia, por ter me escolhido e confiado a mim a difícil e honrosa tarefa de comandar umas das mais antigas, maiores e fiéis Instituições do Estado.

Agradeço aos Coronéis que efetivamente participaram do Planejamento Estratégico da PMES e das decisões que orientaram o rumo da Instituição nesses últimos dois anos. Também àqueles que estiveram diretamente envolvidos no planejamento operacional, fazendo com que a ação exitosa de nossa Instituição alcançasse as áreas mais longínquas de nosso território. A união do Alto Comando foi imprescindível para que pudéssemos tomar decisões mais seguras, eficientes e eficazes, amenizando a imensa responsabilidade de Comandar a nossa Polícia.

Agradeço a todos os Tenentes Coronéis e aos respectivos corpos de Oficiais que trabalharam pelo Comando Geral e pela nossa sociedade além do esperado, além mesmo do que eu poderia exigir, seja no serviço administrativo, respaldando as ações operacionais, seja nos Comandos de Unidades Operacionais e nos Subcomandos regionais, onde diuturnamente não mediram esforços, apoiando o Comando Geral na tarefa de controlar os índices criminais, a fim de proporcionar tranquilidade a todos os capixabas.

Agradeço à nossa tropa, que de uma maneira equilibrada, voluntariosa e sábia, soube conciliar uma determinação incomparável no cumprimento das missões com a necessidade de respeito à legalidade, atendendo aos anseios de nossa população, sempre necessitada de proteção e socorro.

A todos os meus queridos comandados, deixo também minhas desculpas, pois certamente não pude realizar tudo o que esperavam de mim.

Agradeço à minha mãe, a meu pai e a meus irmãos, que sempre foram exemplo para o filho caçula no que se refere à honestidade, firmeza de caráter, lealdade, amizade, amor ao próximo e dedicação a tudo que me propus fazer, bem como a humildade, sem perder o brio e a determinação para defender nossos direitos e os direitos daqueles a quem nós servimos.

Agradeço aos meus filhos, Artur e Marina, que sempre foram a energia renovadora e motivadora para que eu buscasse manter uma conduta exemplar, sem perder a sensibilidade necessária ao relacionamento interpessoal.

Agradeço à minha amada esposa Dávila, pessoa que esteve ao meu lado desde o início dessa jornada, sendo minha confidente, minha conselheira, minha ajudadora. Muito obrigado por entender minha ausência em virtude do tempo extra que a função me exigiu em todo esse período. Muito obrigado por orar ao meu lado e por mim todos os dias. Muito obrigado por me auxiliar na busca pela força divina.

Finalmente faço o agradecimento mais importante: a Deus, meu fiel guardador e mantenedor. Por colocar ao meu lado pessoas tão especiais. Por ter paciência diante das minhas muitas imperfeições. Por me conceder sempre um novo dia, perdoando-me os erros do dia anterior. Por renovar e reforçar a minha débil fé. Por me conceder sabedoria, paciência e equilíbrio na medida necessária para que eu pudesse superar os obstáculos e chegar ao final dessa jornada com sentimento de vitória.

Nesse momento, gostaria de compartilhar com todos os presentes um louvor muito significativo para mim. Ele me foi apresentado por minha esposa e ela sempre me fez ouvi-lo, para que sua mensagem me auxiliasse na busca pela presença fortalecedora de Deus. Aproveito para também oferecer essa mensagem ao novo Comandante Geral, meu amigo Coronel Marcos Antônio, e espero que o senhor possa encontrar no Criador as forças que lhe serão necessárias...

Excelentíssimo Governador Paulo Hartung, deixo o Comando Geral da Polícia Militar do Espírito Santo, mas o faço com muita tranquilidade, pois sei que ela será comandada por um homem possuidor de todas as qualidades que a função exige. Creio que Vossa Excelência foi divinamente auxiliado na escolha do Coronel Marcos Antônio, dentre outros Coronéis altamente qualificados. Passo hoje a liderança de uma Instituição fortalecida e preparada, composta por homens e mulheres dispostos a dar a própria vida em defesa de nosso povo, merecedora do reconhecimento que o Senhor certamente irá lhe conceder.

Muito obrigado a todos.

Fiquem com Deus.”

(Fotos: Thiago Guimarães/Secom/ES)

 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger