Exército legaliza Clube de Tiro do Sindicato dos Policiais Civis do Espírito Santo

Por vários anos, o stand de tiros do Sindicato dos Servidores Policiais Civis do Estado do Espírito Santo (Sindipol) funcionou de maneira irregular. No começo deste ano, entretanto, a situação mudou. O stand se tornou Clube de Tiro Sindipol, o clube regularizou a sua situação junto ao Exército Brasileiro e conquistou o seu CR (Certificado de Registro). E agora acaba de adquirir uma prensa (Máquina de Recarga de Munições).

O Clube de Tiro Sindipol está localizado dentro da sede campestre do Sindipol, à margem da Rodovia Governador Mário Covas (Rodovia do Contorno), km 262, bairro Rosário de Fátima, na Serra, logo após André Carloni. Atende a todos os policiais civis sindicalizados – do auxiliar de perícia ao delegado, passando por investigadores, agentes, escrivães e peritos criminais e papiloscópicos. Está também aberto a qualquer cidadão desde que preencha os requisitos exigidos por Lei.

No Clube de Tiro Sindipol até hoje são formados e reciclados todos os policias civis aprovados em concurso público e que passam pela Academia de Polícia Civil (Acadepol) sem nenhum ônus para o Estado. Ou seja, o Sindipol não cobra nada do Estado para ajudar a formar os futuros delegados, investigadores, agentes de Polícia, peritos, médicos-legistas, escrivães, auxiliares de perícia e outros profissionais da instituição.

A máquina, adquirida pelo Clube de Tiro Sindipol, recarrega munições de armas de diversos calibres, como 380, 38, . (ponto) 40 e 12. Sua capacidade de recarga é de 800 munições por hora.

O Clube de Tiro Sindipol atende a todos os associados do Sindipol e está aberto também para não associados e para a população em geral. No entanto, para se filiar ao Clube de Tiro – onde terá direito a fazer cursos –, o cidadão precisa ter ficha limpa na Justiça e se adequar ao Estatuto do Desarmamento, conforme estabelece a Legislação Federal.

“Temos instrutores credenciados pela Polícia Federal. O cidadão comum pode participar de cursos no Clube de Tiro e se tornar atirador esportivo, participar de competições estaduais, nacionais e mundiais. O próprio Clube tem campeonatos internos de tiros. Nossos instrutores são também registrados no Exército”, informa o Diretor e Instrutor de Tiros do Sindipol, Júlio César Fanzeres. A anuidade para se tornar um associado ao Clube de Tiro Sindipol é de R$ 900,00.

Para que pudesse funcionar regularmente e abrir as portas para a sociedade, o Clube de Tiro do Sindipol conquistou recentemente o CR, documento obrigatório para o funcionamento de qualquer clube de tiro no Brasil. O CR é expedido pelo Exército, responsável pela fiscalização de produtos controlados, como munição, pólvora e armas.

“Desde 2007, o Clube de Tiro funcionava ilegalmente, mas a atual Diretoria do Sindipol conseguiu com muita luta e determinação a legalização. Depois de adquirirmos o CR, estamos agora apostilando a máquina de recarga para funcionar normalmente com munição a preço de custo”, ressalta Fanzeres.

O CR foi entregue pessoalmente ao diretor Fanzeres pelo comandante do 38º Batalhão de Infantaria (Vila Velha), tenente-coronel Luiz Fernando de Azevedo Dellage. Ele assina o Certificado de Registro junto com o general de Divisão Carlos Alberto Neiva Barcelos, comandante da 1ª Região do Exército, que abrange os Estados do Espírito Santo e o Rio de Janeiro.

Concedido no dia 9 de janeiro deste ano, o CR tem validade até 5 de maio de 2017 e leva o número 105809. O documento permite ao Sindipol a adquirir materiais; armazenar seus produtos (depósito); atuar como empresa de instrução de tiro; possuir recarga de munição; e servir de como uso desportivo (associação de tiro).

A atual Diretoria do Sindipol conseguiu ainda legalizar a situação do Clube de Tiro e de todo espaço físico da sede recreativa junto à Prefeitura Municipal da Serra, que, no dia 16 de dezembro do ano passado, concedeu ao Sindicato o Alvará de Licença para Funcionamento número 25046765/2014.

Já o Corpo de Bombeiros liberou para o Sindipol o Alvará de Licença nº 186470. Informa que o “Alvará foi concedido “em conformidade com as normas de Prevenção Contra Incêndio e Pânico vigentes”.

Sindicato constrói 10ª pista de tiros para treinar associados

O Estado do Espírito Santo não dá treinamento de tiros para seus policiais. Por isso, cabe às entidades de classe ajudar os companheiros. Como é o caso do Sindipol. A Polícia Civil capixaba fornece apenas 15 munições de seis em seis meses para o policial treinar e 20 munições por ano para cada um de seus policiais trabalharem durante os 12 meses.

“Com o Clube de Tiro Sindipol legalizado, os policiais podem treinar na recreativa do Sindipol, com a ajuda da máquina de recarga. A munição da máquina de recarga só pode ser usada em treinamento. Se alguém (policial ou cidadão comum) for flagrado na rua com uma munição que tenha sido recarregada, ele é preso, pois está cometendo um crime previsto no Estatuto do Desarmamento”, explica o diretor Fanzeres.

O Sindipol está construindo a décima pista  de treinamento dentro da área do Clube de Tiro. Trata-se de uma pista de 100 metros, porque a Diretoria do Sindicato quer oferecer aos seus associados acesso a treinamentos com armas de longa distância. A Polícia Civil possui armamento moderno, mas nem todos os policiais têm acesso às armas e nem aos treinamentos.

“O projeto do Sindicato é oferecer cursos aos policiais sindicalizados. São treinamentos que envolvem armas do calibre 38 ao fuzil mais avançado, como o 556, e metralhadoras ponto 30 e do tipo Famae, ponto 40”, explicou o diretor Fanzeres.

Para maiores informações e preenchimento da ficha de inscrição, acesse o site do Clube de Tiro Sindipol: www.clubedetirosindipol.com.br

 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger