Sindicalismo de volta aos tempos da ditadura Vargas e Militar: Ministério do Trabalho, de maneira arbitrária, exclui todos os investigadores do Sindipol, a maior entidade de classe da Polícia Civil do Espírito Santo

O coordenador-geral de Registro Sindical do Ministério do Trabalho e Emprego, Raimundo Nonato Teixeira Xavier, determinou, de maneira  arbitrária e politiqueira, a exclusão de todos os investigadores do Sindicato dos Servidores Policiais Civis do Estado do Espírito Santo (Sindipol/ES). A exclusão está causando revolta dentro da Polícia Civil. Mais uma demonstração de que o sindicalismo brasileiro, liderado pelo PT e PDT, está de volta aos tempos da era Vargas (Getúlio Vargas) e da ditadura militar.

No ofício encaminhado ao presidente do Sindipol, Jorge Emílio Leal, consta que foi deferido o registro sindical ao Sinpol para representar a categoria de investigador de Polícia Civil de Acesso, Investigador de Polícia Civil de primeira, Investigador de Polícia de segunda e Investigador de Polícia de terceira categoria. Consta ainda que todas as classes dos Investigadores de Polícia Civil estão EXCLUÍDAS de todos os âmbitos de representação do Sindipol/ES.

“Em respeito aos colegas Investigadores que demonstraram medo, preocupação com a situação, mas, sobretudo, deixaram claro o desejo de não serem EXCLUÍDOS do Sindipol/ES, a Diretoria vem desmentir o que vem sendo amplamente divulgado pelos indivíduos por trás do Sinpol. O conteúdo do ofício afirma categoricamente que os Investigadores de Polícia Civil estão EXCLUÍDOS do Sindicato dos Servidores Policiais Civis do Estado do Espírito Santo (Sindipol/ES)”, informa Jorge Emílio.

Segundo ele, dentre uma série de medidas que serão impostas, pode-se destacar a mudança estatutária com a exclusão dos Investigadores do Sindipol/ES.

“Assim sendo, eles (investigadores) não poderão votar e nem serem votados, não terão voz dentro da maior Entidade Sindical que representa os policiais civis no Estado do Espírito Santo. Além disso, todas as ações judiciais dos Investigadores deverão ser encaminhadas à instituição que impetrou ação e EXCLUIU os investigadores do Sindipol/ES. Portanto, informamos que a decisão deferia pelo Ministério do Trabalho e Emprego em virtude da manobra do Sinpol, EXCLUI VOCÊ, Investigador de Polícia Civil de todos e quaisquer que sejam os interesses, ações, benefícios, eventos e atividades da Cantina, Sede Recreativa e Estande de Tiro que anteriormente eram de responsabilidade do Sindipol/ES; e isso é só o começo de uma série de prejuízos e transtornos que foram – e serão – impostos a todos os Investigadores de Polícia Civil do Estado do Espírito Santo”, concluiu Jorge Emílio, presidente da maior entidade de classe dos policiais civis do Espírito Santo, com quase 3 mil associados.

Saiba Mais

No dia 29 de janeiro, o Diário Oficial da União publicou o deferimento do Registro Sindical do Sindicato dos Investigadores de Polícia do Estado do Espírito Santo (SINPOL/ES), que “reconhece o direito dos Investigadores de se constituírem como sindicato”.






















 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger