Polícia Civil do Espírito Santo reduz combustível e suspende internet de delegacias, mas contrata empresa de publicidade por 700 mil reais

Um alerta para o governador Paulo Hartung, que sempre demonstrou ser um administrador e político bem intencionado. Enquanto os delegados e demais policiais civis são obrigados a reduzir suas atividades operacionais por conta do corte de 20% na cota de combustíveis de viaturas e por causa da suspensão da rede internacional de comunicação (internet) em mais de 60 delegacias em todo o Estado, a chefe de Polícia Civil do Espírito Santo, delegada Gracimeri Soeiro de Castro Gaviorno, renovou contrato com uma empresa de publicidade no valor de R$ 700 mil.

O contrato, na verdade, existia desde 2013, mas todo ano é renovado. Desta vez, a renovação foi publicada no Diário Oficial do Estado do dia 23 de fevereiro deste ano e faz parte do processo 66843073. A empresa beneficiada é a Danza Estratégia & Comunicação Ltda.

O objeto do contrato é a “Prestação de Serviço de Publicidade e Propaganda”. De acordo com o Diário Oficial, o contrato já está em vigor e tem duração de 12 meses, podendo ser prorrogado por igual período, em conformidade com o art. 57 inciso II da Lei 8.666/93.

Enquanto isso, delegados, investigadores, escrivães e agentes de Polícia lotados na Delegacia de Crimes Contra a Vida de Vila Velha, assim como outros de demais unidades, estão enfrentando um grande sufoco no dia a dia. No dia 1º de março, a cota de combustível da DP era de R$ 500,00 e, mesmo assim, insuficiente para um mês: durava, no máximo, 10 dias. A delegacia sempre tinha que pedir cota extra até a virada do mês.

Do início do mês em diante, a Chefia de Polícia Civil determinou a redução da cota, seguindo orientação da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social. Cada viatura tem uma cota de R$ 350,00 por mês para abastecer e uma cota extra suplementar de R$ 150,00, totalizando R$ 500,00. No entanto, a ordem é a seguinte: usando a cota extra, a orientação é parar a viatura, pois não haverá mais créditos.

“Um absurdo para uma equipe que trabalha além do horário e muitas vezes abdicando de tudo para poder dar uma resposta rápida a familiares na elucidação dos homicídios. Somos a única DHPP (Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa)  que não tem uma sede própria: nossa área de atuação é Vila Velha e nossa base é em Vitoria. Ou seja, precisamos de mais combustível para rodar”, descreve um policial, que, para evitar represálias, não está sendo identificado.

“Nossas viaturas, muitas das vezes, consertamos com ajuda de colaboradores para que não fiquem paradas, seja troca de pastilhas de freio ou até mesmo um pneu furado, em que precisamos de um borracheiro amigo. Digo uma coisa, sou LUTADOR e GUERREIRO, vou aguentar e tentar fazer o que eles querem. Ou seja, não fazer nada, deixar o bicho pegar. Aos pseudos Doutores em Segurança Pública, não deixem nossa equipe DESANIMAR...PORQUE SE DESANIMAR...”, completou o policial civil.

Outro lado

O Blog do Elimar Côrtes procurou a Chefia da Polícia Civil na tarde desta quarta-feira (25/03), por meio de sua Assessoria de Imprensa, para se manifestar sobre a contratação da empresa de publicidade. O blog fez os seguintes questionamentos: Qual a finalidade das propagandas e o seu público alvo? Num momento de cortes de custos, não seria mais viável usar o dinheiro (700 mil reais) em outros setores da Polícia Civil?

Resposta: "A Polícia Civil não vai se manifestar sobre o assunto."

 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger