POLICIAIS SÃO TRANSFERIDOS PARA VIGIAR PÁTIO DE DELEGACIA: Polícia Civil paralisa investigação de veículos roubados no Espírito Santo

A Polícia Civil do Espírito Santo suspendeu as investigações relativas a furtos e roubos de veículos em todo o Estado. A suspensão se deve porque os 10 policiais civis lotados no Setor de Investigação da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, que atua em todo o Estado, foram deslocados para trabalhar como porteiros em prédios públicos desde quinta-feira (10/04).

A polícia capixaba registra uma média de 700 veículos roubados no Estado por mês. Conforme o Blog do Elimar Côrtes noticiou com exclusividade na quarta-feira (08/04), a chefe de Polícia Civil, delegada Gracimeri Soeiro Gaviorno, atendendo à política de cortes de recursos financeiros imposta pelo governador Paulo Hartung, rescindiu contrato com a empresa de vigilância privada que fazia segurança em 16 unidades da instituição. Com isso, ela determinou a retirada de 58 policiais civis de delegacias para trabalharem como porteiros.

Uma das unidades mais prejudicada é a DP de Furtos e Roubos de Veículos. O chefe da unidade, delegado José Virgílio, determinou a transferência de todos os seus 10 policiais, do Setor de Investigação, para atuarem na vigilância de prédios. Eles já estão atuando no pátio de veículos roubados da própria delegacia, no bairro Alterosas, na Serra.

Na manhã desta sexta-feira (10/04), os 10 policiais civis transferidos de suas atividades-fins (investigação) procuraram ajuda do Sindicato dos Servidores Policiais Civis do Estado do Espírito Santo (Sindipol). Eles se reuniram com o presidente da entidade, Jorge Emílio Leal; e com os diretores Aloísio Fajardo (Administrativo-Financeiro) e Humberto Mileipe Duarte Machado (vice-presidente). Pediram que o Sindipol tome uma providência junto à Chefia de Polícia.

“A decisão da Chefia de Polícia em colocar policiais para vigiarem prédios públicos está causando um transtorno muito grande para a população. Uma das consequências é o desvio de função na Polícia, que já se encontra em uma situação precária. O reflexo disso é que as investigações relativas a furtos e roubos de veículos simplesmente estão paralisadas no Espírito Santo. Quem perde, mais uma vez, é a população”, lamenta Jorge Emílio.

Não é só a investigação de roubos que fica paralisada. Segundo o presidente do Sindipol, a transferência dos 10 policiais para o serviço de vigilância paralisa também a vistoria externa, que é realizada pelos profissionais do Setor de Investigação. A vistoria externa consiste em fazer fiscalização em oficinas de ferro-velho e em locais de acidentes em que os veículos não podem se locomover. Os policiais também atendem solicitação de delegados de outras unidades, em investigação envolvendo veículos apreendidos.

Os policiais do Setor de Investigação da DP de Furtos e Roubos de Veículos investigam roubos e furtos de veículos, receptação; adulteração de sinal identificador do veículo; clonagem; falsa comunicação de crime; e denunciação caluniosa.

Dos 700 veículos roubados no Estado mensalmente, pelo menos 70% são recuperados pela Polícia Civil, ou Polícia Militar, Guardas Municipais, Polícia Rodoviária Federal e pela própria vítima. A partir do momento em que são recuperados, os carros são levados para a DP de Furtos e Roubos, onde se dá início a uma nova fase da investigação: a busca pela autoria do delito. 
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger