Hartung prepara mudanças na cúpula da Segurança Pública e classe política quer Gilsinho Lopes como secretário

As últimas notícias na área policial têm deixado o staff do governador Paulo Hartung preocupado. Mudanças na cúpula da Segurança Pública, se acontecerem a qualquer momento, não serão nenhuma surpresa e elas já estariam na agenda do governador. A classe política percebeu que a segurança tem sido o calcanhar de Aquiles de Hartung. Por isso, vem fazendo pressão para o governador substituir o atual secretário, André Garcia. E os políticos têm feito lobby para que o escolhido para o lugar seja o deputado estadual Gilsinho Lopes (PR), que é delegado de Polícia licenciado.

A onda de invasão a delegacias de Polícia Civil, em que bandidos têm roubado armas da instituição – embora seis deles, inclusive um policial militar, já tenham sido presos –, é comentada diariamente na Assembleia Legislativa:

"É um absurdo vivermos deste jeito. Falta uma política eficaz de segurança em nosso Estado. Além dos assassinatos, se as forças policiais estão vulneráveis, imagine o resto da população", indagou o deputado estadual Marcelo Santos (PMDB), ao site ES Hoje.

“Esta na hora do governador (Paulo Hartung) tomar uma atitude e trocar o secretário de Segurança (André Garcia). Eu acredito e lanço aqui o nome do deputado e delegado de Polícia, profundo conhecedor deste Espírito Santo, Gilsinho Lopes (PR)", completou o parlamentar.

Marcelo Santo acredita que o atual titular da Pasta, André Garcia, já deu sua contribuição, mas está perdendo o controle da situação. "O secretário colaborou, mas não tem mais dado resultado. Tenho certeza que, com Gilsinho Lopes, nenhum bandido ousaria agir como tem acontecido. Os policiais que deverias nos proteger são assaltados... quem irá nos defender?", questionou.

Ainda segundo o ES Hoje, Gilsinho Lopes afirmou que aceitaria o convite, porque se sente preparado para a função, mas jamais pediria para assumir o cargo, porque sabe que decisão de escolha é de Paulo Hartung: "Estou preparado, mas quem escolhe é o governador. Fui delegado em 48 municípios, chefiei grandes operações e tenho cursos de capacitação. Jamais pedi a qualquer colega deputado ou policial que me indicasse, mas estou à disposição e em condições. Se Paulo Hartung precisar, estou pronto", afirmou Gilsinho Lopes, de acordo com o site ES Hoje.

O cacique do PR, senador Magno Malta, tem feito pressão junto ao Palácio Anchieta, antes mesmo da posse de Hartung, para que o secretário de Segurança Pública fosse Gilsinho Lopes. Não é a toa que Gilsinho Lopes passou os últimos dois dias – terça e quarta-feira – desta semana em Brasília. Lá, se reuniu com o próprio Magno Malta e os deputados federais Lelo Coimbra (PMDB) e Sérgio Vidigal (PDT), dois dos maiores aliados de Hartung.

Outro nome que vem sendo bastante comentado para assumir a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, em caso de saída de André Garcia, é o do atual secretário de Estado da Justiça, o delegado federal Eugênio Ricas. Paulo Hartung está muito satisfeito com o trabalho de Eugênio Ricas, que foi também secretário de Justiça no governo de Renato Casagrande, no sistema prisional capixaba.

Caso, porém, o escolhido seja Gilsinho Lopes, Hartung ganhará um aliado na Assembleia Legislativa: o primeiro suplente a assumir a vaga de deputado é o delegado Danilo Bahiense, também do PR de Magno Malta e muito próximo do vice-governador, César Colgnago.

O governador Paulo Hartung ainda tem sido orientado a mudar o comando da Polícia Civil. Há grande insatisfação com a atual chefe, delegada Gracimeri Soeiro Gaviorno. Ela tem demonstrado fragilidade para o cargo e conseguiu, em seis meses de administração, dividir a categoria, principalmente os delegados, por conta de seu perfil centralizador e pouco eficiente como gestora. Com Gracimeri, a Polícia Civil enfrenta sua maior crise de gestão das últimas décadas.

De acordo com fontes do Palácio Anchieta, pesa também contra Gracimeri Gaviorno sua "omissão diante da crise instalada na Polícia Civil" logo após às invasões às delegacias. Ela deixou todas as explicações para o próprio André Garcia (o que acabou 'queimando' o secretário da Segurança Pública diante as entidades de classe do policiais) e para dois de seus superintendentes, os delegados Cláudio Victor (Metropolitana) e José Darcy Arruda (Especializada).

No entanto, Gracimeri Gaviorno apareceu nas fotos dos jornais e nas TVs, junto com outras autoridades, nas entrevistas coletivas dadas por André Garcia para informar sobre a prisão de  suspeitos de invadirem a Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente para roubar duas submetralhadoras e uma escopeta.
  
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger