Candidata ao governo do Estado em 2014, Camila Valadão é acusada de atacar a PM e policiais militares no Facebook

A Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar e do Bombeiro Militar do Estado do Espírito Santo está acionando à Delegacia de Repressão a Crimes Eletrônicos da Polícia Civil para que investigue a atitude da candidata ao governo do Estado nas eleições do ano passado, a professora e membro do Conselho Estadual de Direitos Humanos Camila Valadão, e do jovem Carlos Fernando Siqueira Nascimento Júnior, que postaram no Facebook mensagens ofensivas contra a Polícia Militar e os policiais militares capixabas.

As mensagens de Camila Valadão e de Fernando Siqueira foram postadas logo após a morte do soldado Ítalo Bruno Pereira Rocha, 25 anos, assassinado covardemente por bandidos no bairro Jardim Carapina, na Serra, na noite de domingo (30/08). Outro soldado, Alan Carlos Ferreira Netto, 22, que estava com Ítalo – ambos se encontravam de folga e à paisana –,  foi baleado. Os criminosos já estão presos.

Os advogados Luciano Pavan de Souza e Nathalia Ribeiro Lopes de Faria, que integram os quadros do Departamento Jurídico da ACS/ES, entraram na sexta-feira (04/09) com uma queixa-crime contra Fernando Siqueira. Posteriormente, entrarão com outra queixa-crime contra Camila Valadão, que nas eleições do ano passado disputou o governo do Estado pelo PSOL.

Na queixa-crime, os dois advogados entendem que, em tese, Camila Valadão e Fernando Siqueira teriam cometido o crime de difamação, pois teceram comentários maldosos contra a PM e seus integrantes.

Camila Valadão inicia a postagem, em sua página no Facebook, questionando o fato “de uns tempos para cá vem se intensificando a propaganda a favor dessa polícia que mata antes de perguntar...que bate em estudante e em trabalhador em protesto”. O comentário dela foi postado no dia 31 de agosto, mas já está fora do ar.

O comentário feito por Camila Valadão, no entanto, não teve o cunho de tratar com desprezo a morte do soldado Ítalo. A postagem foi feita para comentar uma foto, publicada no Jornal A Gazeta, a respeito de uma exposição realizada pelo Batalhão de Missões Especiais (BME) em um shopping de Vitória. A exposição marcou os 29 anos de criação do BME.

Já Fernando Siqueira foi mais além em sua página no Facebook. “Menos um”, disse ele ao se referir a morte do soldado Ítalo. Fernando escreveu mais: “Odeio polícia. É a corporação que mais mata. Mais rouba! Mais corrupta!” E acrescentou: “Se pra PM e pra sociedade bandido bom é bandido morto...Me explica o porque do bandido não pensar do jeito inverso???????”

Para o advogado Luciano Pavan, os comentários são desumanos e desrespeitosos. “É como se estivessem torcendo para a morte de policiais”, avalia Pavan, indignado.

O presidente da ACS/ES, Flávio Gava, reagiu, afirmando que a entidade estará sempre na defesa dos policiais militares e da corporação: “As pessoas não podem fazer comentários em redes sociais difamando uma corporação, que serve à sociedade, que protege à sociedade e cujos integrantes fazem juramento de morte para salvar outras pessoas. Foram comentários maldosos, feitos num momento de dor para toda família militar”, disse Flávio Gava.

(Com informações também do site da ACS/ES)


 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger