Deputado Euclério Sampaio e Sindipol/ES são os verdadeiros responsáveis pela convocação de mais 75 investigadores da turma de 1993

Há muitos pseudos dirigentes  de classe dos policiais civis do Estado do Espírito Santo tentando pegar carona nas conquistas obtidas em favor da categoria pelos verdadeiros líderes de classe da entidade. Gente que sempre foi contra a nomeação dos investigadores da turma de 1993 agora vem a público, pelas redes sociais, querendo ser o pai das crianças bonitas – se fossem filhos feios, ninguém assumiria a paternidade.

No dia 3 de dezembro de 2015, a corregedora-geral da Polícia Civil, delegada Fabiana Maioral Foresto – que na ocasião exercia a Chefia da instituição interinamente –, instituiu Comissão para proceder à Investigação Social dos candidatos aprovados em concurso para Investigadores de Polícia e mencionados no OF/Nº 425/SEGER/SUBAP originário da Secretaria de Estado de Gestão e Recursos Humanos (SEGER), em obediência ao acórdão proferido nos autos do Mandado de Segurança nº 0028518- 16.2014.8.08.0000.

A criação da Comissão atendeu a uma solicitação da Diretoria do Sindicato dos Servidores Policiais Civis do Estado do Espírito Santo (Sindipol/ES) e do presidente da Comissão de Segurança Pública da Assembleia Legislativa, o deputado estadual Euclério Sampaio (PDT), o grande representante dos policiais civis no Legislativo capixaba.

A Comissão de Investigação Social da Corregedoria Geral da Polícia Civil é formada pelo delegado José Virgílio Melo Barcellos, como Presidente; o investigador Rossini Fernandes da Costa, como membro; o agente de Polícia  Roger Gonzaga Pachito, como membro; e a escrivã de Polícia Juliana Miranda Lubiana, como secretária.

A Instrução de Serviço Nº 323, de 2 de dezembro de 2015 e que criou a Comissão, foi publicada no Diário Oficial do Estado do dia 3 do mesmo mês.

É sempre bom lembrar para aqueles pseudos dirigentes de classe que têm pouca memória que, em outubro de 2015, em atendimento a um pleito do deputado estadual Euclério Sampaio e do Sindipol/ES, a SEGER convocou 75 investigadores de Polícia Civil remanescentes do concurso de 1993.

“Trata-se de mais uma etapa (criação da Comissão) da luta em favor dos nossos irmãos que fizeram aquele concurso de 1993. Depois da Investigação Social, os investigadores poderão ser nomeados. Agradecemos a doutora Fabiana Maioral por mais essa atitude em favor da Polícia Civil”, disse o presidente do Sindipol, Jorge Emílio Leal, em dezembro.

“Ao autorizar a convocação e posterior nomeação dos 75 investigadores, o governador Paulo Hartung mostra-se sensível em melhorar a segurança pública e em dar também sensação de segurança à população de nosso Estado. Entendo que o governo vem fazendo o possível para atender os pleitos da Comissão de Segurança da Assembleia, que é porta-voz da sociedade”, disse Euclério Sampaio, que é investigador de Polícia Civil aposentado.

A diretoria do Sindipol/ES, que lutou ao lado de Euclério Sampaio pela nomeação dos investigadores, comemorou a convocação dos concursados:

“O Sindipol parabeniza todos os investigadores guerreiros de 1993 e ao empenho do deputado Euclério Sampaio junto ao atual governo para a nomeação dos futuros policiais civis. Enfim, a Justiça está sendo feita”, afirmou o presidente da entidade, Jorge Emílio Leal.

“Com muita luta, trabalho e força, conseguimos mais esta etapa. Tivemos o apoio incondicional do deputado estadual Euclério Sampaio, que não mediu esforços para dar sequência ao andamento do processo. O Sindipol/ES, legítimo representante de todos os cargos da categoria Policial Civil , parabeniza todos os homens e mulheres aguerridos que em nenhum momento desistiram de lutar para que os seus direitos garantidos fossem cumpridos”, completa a  Diretoria do Sindipol.

Leia aqui ofício em que o Sindipol pede à Seger agilidade no processo da Investigação Social dos novos investigadores
http://sindipol.com.br/site/images/pdf/OFICIOINVESTIGADORES.pdf


 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger