Sindipol/ES cobra a inclusão dos policiais civis dentro do grupo prioritário de vacinação contra o vírus H1N1

A Diretoria do Sindicato dos Servidores Policiais Civis do Estado do Espírito Santo (Sindipol/ES) encaminhou ofício no início deste mês de abril ao secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, André Garcia; ao secretário de Estado da Saúde, Ricardo de Oliveira; ao presidente da Comissão de Segurança da Assembleia Legislativa (Ales), deputado Euclério Sampaio; e à chefe de Polícia Civil, delegada Gracimeri Gaviorno, solicitando a inclusão de todos os policiais civis dentro do grupo prioritário da campanha de vacinação contra a gripe Influenza A  H1N1.

Com entidade representativa de todos os policiais civis capixabas, o Sindipol quer que o Estado disponibilize vacinação para os delegados de Polícia, escrivães, auxiliares de pericia, agentes de Polícia, investigadores, dentre outros profissionais da instituição. Leia no link o ofício http://sindipol.com.br/site/images/pdf/oficioaosecretariodesaude.pdf

Em meados deste mês, o governo do Estado  iniciou a vacinação para as pessoas com prioridades. Levou a vacina Trivalente ao sistema penitenciário, onde foram vacinados presidiários e servidores que trabalham nas cadeias, mas deixou os policiais civis – que também têm contato com presos – de fora. Neste sábado (30/04), acontece a Campanha Nacional de Vacinação em todo o Brasil.

Além dos trabalhadores da saúde, gestantes e puérperas, também estão no grupo prioritário da campanha nacional de vacinação contra gripe as pessoas com 60 anos ou mais; crianças de 6 meses a menores de 5 anos de idade; indígenas; população privada de liberdade; funcionários do sistema prisional; e pessoas com doenças crônicas, como diabetes tipos I e II em uso de medicamento, hipertensão sistêmica com comorbidade, entre outras.:

“Assim como os funcionários do sistema prisional que foram contemplados dentro do grupo prioritário, a inclusão dos policiais civis neste rol se faz mais que necessária, pois a atividade policial vai além, e inclui desde o atendimento ao público, diligências, expediente, plantões, incursões em ambientes completamente insalubres, até a convivência diuturna com inúmeras pessoas e, ainda, com todo o tipo de pessoa, custódia provisória e condução de presos nas unidades policiais. Nesse sentido, cumpre destacar as atividades insalubres desenvolvidas pelos policiais civis no Departamento Médico Legal (DML) bem como no Serviço Médico Legal SML), no Interior do Estado, que, com certeza são outros fatores que justificam a necessidade da extensão da vacinação a todos esses servidores, em função de submetê-los ao constante risco de contaminação”, salientou o presidente do Sindipol/ES, Jorge Emílio Leal.


 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger