FAMÍLIA DE NERO DRIBLA SEGURANÇA MILITAR E GRAVA VÍDEO COM MENSAGEM POLÍTICA DENTRO DO QUARTEL DO COMANDO GERAL DA PM: Soldado acusado de ofender superiores e à Polícia Militar pode ser expulso a qualquer momento

O soldado Nero Walker da Silva Soares, que transmitiu ao vivo pelo facebook a sua própria prisão, na última sexta-feira (16/06), corre o risco de ser expulso da Polícia Militar do Espírito Santo a qualquer momento. Ele, que tem menos de três anos de corporação – encontra-se no estágio probatório –, já está respondendo a um Processo Administrativo Disciplinar de Rito Ordinário (PAD-RO), instaurado há menos de um mês e publicado no Boletim Geral da PM número 024, de 18 de maio deste ano. O PAD/RO é um rito demissionário.

No domingo (18/06) à noite, Nero foi transferido da carceragem do Quartel do Comando Geral da PM, em Maruípe, Vitória, para o Hospital Psiquiátrico Adalto Botelho, depois de dar um surto. No domingo pela manhã, ele recebeu a visita da família. Parecia estar normal.

Após a visita, as duas irmãs de Nero driblaram a segurança militar do QCG e gravaram um vídeo relatando a conversa que tiveram com o soldado e postaram no facebook – na página do próprio Nero Walker. Pelo que se observa, o próprio Nero tem postado mensagens em sua página no facebook, mesmo de dentro da prisão.

Nero Walker foi preso por ordem da Vara da Auditoria da Justiça Militar, que acolheu manifestação do Ministério Público Estadual Militar, pela acusação de infringir o artigo 166 do Código Penal Militar – publicar ofensas a superiores e até contra o governador do Estado, Paulo Hartung. De acordo com o Inquérito Policial Militar (IPM), nas mensagens que posta nas redes sociais Nero teria ofendido a própria corporação militar.

Ele foi um dos militares que participaram do aquartelamento da PM capixaba em fevereiro, atuando, principalmente, nas redes sociais e na gravação de vídeos. Na mesma sexta-feira, Nero foi colocado sozinho em uma cela por questão de segurança dele e dos demais internos da unidade.

Nesta segunda-feira (19/06), o Comando da Polícia Militar explicou por que o soldado foi encaminhado ao hospital psiquiátrico. "O soldado Nero Walker apresentou sinais de descontrole emocional e agressividade. A Polícia Militar aguarda a conclusão do laudo médico para definir as providências que serão adotadas", diz a nota.

A Portaria nº 060/2017, da Divisão de Procedimentos e Processos Administrativos Militares, contra o soldado-recruta Nero Walker foi instaurado no dia 10 de maio. O encarregado do PAD/RO é o major Fernando Marques Mayrink, do 9º Batalhão da PM (Cachoeiro), mesma unidade onde Nero está lotado.

A Portaria, do Comando geral da PM, afasta o soldado Nero Walker de suas funções e o coloca à disposição do encarregado do PAD-RO, “cumprindo expediente administrativo no 9º BPM”. A Portaria, porém, foi publicada antes da prisão do soldado.

No mesmo dia, o Comando Geral da PM também publicou  a instauração da Portaria nº 061/2017, em desfavor do soldado Maxson Luiz da Conceição, que é presidente da Associação Geral dos Militares do Estado do Espírito Santo (AGEM).

Pela portaria, Maxson passa a responder a um PAD de Rito Ordinário. Ao final do procedimento, se ficar caracteriza culpam, ele pode ser expulso da corporação. Maxson chegou a ser preso durante o aquartelamento  dos militares, em fevereiro, e é acusado de ter incitado a tropa a fazer a “greve”.

Irmãs vão à carceragem da PM, gravam mensagem e dizem que Nero vai voltar para “lutar pelos nossos direitos, pelos seus direitos, pelos direitos do povo”

Na página do soldado Nero no facebook, duas irmãs do militar postaram um vídeo em que mandam mensagem para os amigos e colegas dele. Uma equipe de TV convencional somente consegue gravar vídeo (imagens e áudio) dentro do Quartel Geral da PM com a devida autorização da Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social. Sem a autorização, os policiais responsáveis pela segurança do QCG impedem até a entrada dos jornalistas. As duas irmãs do soldado Nero, todavia, gravaram o vídeo em frente ao Corpo da Guarda.

Elas iniciam falando que a situação está “difícil” para Nero, “porque ele não está acostumado a ficar recluso, dentro de um quarto”. Afirmam que o rapaz está “chocado”. Salientam que até aquele momento (domingo de manhã) a família ainda não sabia em que “artigo” a Justiça decretou a prisão do policial – artigo 166 do Código Penal Militar.

“Ninguém fala nada pra gente”, disse uma das irmãs.

Uma delas, que diz ser a mais velha, informa que o “lugar” onde Nero está preso “não é legal; é precário”. Revela que, durante a visita, Nero passou para ela contatos e mensagens que em breve ela repassará aos colegas e amigos do militar.

A moça afirma ainda que Nero lhe disse que, depois que encerrou a gravação da transmissão ao vivo de sua prisão, na sexta-feira, ele teria sido “coagido” e “obrigado” a passar para os policiais militares que efetuaram as diligências as senhas de seu celular e computadores.

Ao encerrar a fala, as duas irmãs afirmam que Nero “sempre falou a verdade”. Uma delas informa que Nero chegou a apanhar porque “fala a verdade”. Dando um toque político na mensagem,  outra irmã de Nero Walker encerra a gravação garantindo que em breve “meu irmão estará aqui fora de volta, lutando pelos nossos direitos, pelos seus direitos, pelos direitos do povo”.

Amigos e colegas de farda especulam que Nero deverá ser candidato a deputado estadual em 2018 e, para tanto, já estaria buscando  até o apoio de uma das entidades de classe dos militares estaduais.

Antes da gravação, a família deixou por escrito oura mensagem na página do soldado Nero no facebook:

“Gente, aqui é família do Nero. Visitamos ele hoje. Muita gente tá perguntando o porque dele está preso, a verdade é que até agora ninguém sabe a justificativa. Nem ele nem os advogados. Até agora ele não foi acusado de nenhum crime. Prenderam ele só porque estavam querendo uma desculpa para pegar o computador dele que está cheio de sujeira sobre o governo. Ele já está preso pelo terceiro dia de forma COMPLETAMENTE ILEGAL, então não tem como saber quanto tempo a justiça vai se calar sobre essa injustiça”.

Em sua página no facebook, há duas mensagens, postadas por volta das 20 horas de domingo, supostamente feita pelo próprio Neto – pelo menos o autor das duas frases as escrevem  na primeira pessoa do singular. Em uma das mensagens, Nero escreve: "Tô morrendo de saudade do pessoal que me acompanha no Facebook" palavras do nosso Nero Walker. Depois, acrescenta: "Agradeço todo carinho e apoio de todos. Sozinho eu não seria ninguém " – NERO.


 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger