GOVERNO, QUE SEMPRE IGNOROU O DRAMA DAS FAMÍLIAS, AGORA COMEÇA A REAGIR: Hartung “compra” ideia de Euclério Sampaio e manda Rodosol instalar barreiras de proteção na Terceira Ponte para evitar mais suicídios

Em 27 de novembro de 2016, o Blog do Elimar Côrtes informou, com base  no livro “Crise suicida: avaliação e manejo”, de autoria do professor-doutor Neury José Botega, que, entre 2005 e 2014, pelo menos 1.280 pessoas cometeram suicídio no Espírito Santo. Deste total, 510 foram registrados na Grande Vitória. Do total da Região Metropolitana, 44 casos ocorreram na Terceira Ponte, que liga Vitória a Vila Velha.

Desde janeiro de 2003, quando iniciou seu primeiro mandato como deputado estadual, o investigador de Polícia Civil aposentado e advogado Euclério Sampaio (PDT) vem batendo na mesma tecla: a necessidade da Assembleia Legislativa aprovar – e o governo sancionar – projeto de lei que prevê a instalação de grades ou telas de proteção na Terceira Ponte.

Todos os anos é a mesma coisa e, agora em 2017, não foi diferente: Euclério Sampaio  apresentou projeto, mas a bancada governista na Assembleia Legislativa impede a tramitação do projeto. Os parlamentares seguem à risca o que manda o governador Paulo Hartung e “fogem” do Plenário para não votar projeto de lei que pelo menos dificulta a prática de suicídio na Terceira Ponte.

Eis, no entanto, que do nada o governo do Estado muda os planos e passa a se preocupar com a vida das pessoas e com o drama de quem tem entes queridos ou amigos que já cometeram suicídio, pulando, geralmente, do vão central da ponte que tem a mais bela vista do Espírito Santo: o Convento da Penha e os quartéis do Exército e da Marinha e o Morro do Moreno.

Com direito a chamada de capa em jornais – algo que o deputado e os defensores da vida jamais conseguirão –, no dia 3 de agosto deste mês o governador Paulo Hartung surge belo e eloquente para anunciar a existência de um projeto de engenharia com dispositivos de segurança para a Terceira Ponte.

Foi o pedido feito por Hartung à Agência de Regulação dos Serviços Públicos do Espírito Santo (ARSP), em anúncio feito em conjunto, com o diretor-geral da Agência, Julio Castiglioni. Concederam até entrevista coletiva.

Tardiamente, a ARSP notificou a concessionária Rodosol “para que apresente um prazo de conclusão de um estudo técnico para instalação de barreiras de proteção, que devem ser posicionadas no guarda-corpo da Ponte, especificando a tecnologia a ser empregada e os custos respectivos”.

“Além de constituir um importante equipamento rodoviário, a Terceira Ponte é reconhecida como um símbolo para os capixabas. Isso impõe ainda mais ao Poder Público a obrigação de adotar medidas que não se limitem a garantir a mobilidade dos veículos, mas que, sobretudo, preservem em primeiro lugar a vida das pessoas”, explicou Julio Castiglioni, de acordo com o Portal do Governo do Estado.

Mas por que essa preocupação chega de maneira tão tardia? O destino um dia há de explicar.

Claro, o deputado Euclério Sampaio agradece a tão demorada boa intenção do governo do Estado, mas ressalta as dificuldades que sempre enfrentou na Assembleia quando apresentou projetos para instalação de grades na Terceira Ponte:

“Eu luto há anos para que se instalem grades de proteção na Terceira Ponte. Todo ano entro com o projeto, mas por orientação do governo à base aliada vota contra. Em diversas oportunidades, durante minha fala em Plenário, disse que países do primeiro mundo estavam colocando proteção e citei São Francisco, nos Estados Unidos, e países da Europa. Toda vez que o projeto está para ser votado causa constrangimento aos deputados da base, pois o clamor popular e grande. Só espero que não tenha uma armação do governo macumunado  com a Rodosol para beneficiar os  empresários donos da concessionária. Quem presta o serviço tem que dar segurança, além do mais a Terceira Ponte já está paga”, disse Euclério Sampaio, o único deputado estadual que, desde 2003, sempre lutou pela proteção e preservação da vida.

Entidades civis, no entanto, sempre deram apoio à causa defendida pelo deputado Euclério Sampaio. Foi o caso do Conselho Regional de Psicologia da 16ª Região (CRP-16), que compreende o Espírito Santo, que, em setembro de 2016, divulgou uma Carta Aberta à Rodosol  e à Agência Reguladora de Saneamento Básico e Infraestrutura Viária do Espírito Santo (Arsi), em que solicitou a instalação de proteção na Terceira Ponte.

"Além da carta, o CRP-16 lançou uma petição pública para que a sociedade civil organizada, o poder público e a população em geral podem se manifestar em favor da instalação dessa proteção, diante de sua eficácia comprovada na redução de casos de suicídio em outros países do mundo", dizia a publicação à epoca.

A carta, também assinada pelo Conselho Regional de Medicina, Associação Brasileira de Psiquiatria e outras três entidades, fez parte da campanha Setembro Amarelo de prevenção ao suicídio, apoiada pelo conselho.

Outra entidade a abraçar a causa foi o Sindicato dos Servidores Policiais Civis do Estado do Espírito Santo (Sindipol), que lamentou que o Projeto de Lei do deputado Euclério Sampaio tenha sido arquivado na Assembleia Legislativa.

“O Sindipol acredita que a Terceira Ponte precisa de uma intervenção para evitar novos suicídios, não causar mais transtornos à população e não sobrecarregar ainda mais o policial civil capixaba. O governo precisa mesmo pensar na sociedade, no servidor público, não nos interesses empresariais”, diz o presidente do Sindipol, Jorge Emílio Leal.


 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger