quarta-feira, 21 de março de 2018

AMARO NETO ANUNCIA QUE “POLICIAL FOI SAPECADO NA CABEÇA” E PROVOCA REVOLTA: “Essa expressão é desrespeito ao povo capixaba! Essa afronta é moralmente cúmplice da barbárie”, reage comandante-geral da PM

O número de policiais mortos no Brasil aumenta assustadoramente a cada ano. Para se ter ideia, até o final do primeiro semestre de 2017 foram registrados 248 assassinatos tendo policiais como vítimas. Os dados são da Ordem dos Policiais do Brasil (OPB). O Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP) também está copilando os dados de 2017. O trabalho ainda não foi concluído porque alguns Estados ainda nenhum repassaram informações ao FBSP.

A banalização da morte no Brasil tem deixado até mesmo aqueles que deveriam tratar o assunto com mais humanismo e seriedade à margem da ética. É o caso do apresentador do programa “Balanço Geral”, Amaro Neto, da TV Vitória.

Eleito deputado estadual mais votado em 2014 no Espírito Santo, com 55.408, Amaro Neto, que sonha em ser senador da República, tendo o apoio do governador Paulo Hartung (PMDB), nas próximas eleições de outubro, tratou com ironia e deboche o ataque a dois policiais militares, na manhã de terça-feira (20/03), em São Torquato, Vila Velha.

Ao noticiar que o soldado Afonso Miller Costa de Mello, 25 anos, havia sido ferido com tiro na cabeça por traficantes, Amaro Neto simplesmente detonou: “Um policial acaba de ser sapecado...” O apresentador-deputado usou o mesmo termo diversas vezes para se referir ao atentado covarde feito aos policiais.

A ironia de Amaro Neto se espalhou pelo País e provou reações de revolta. Uma das reações foi do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidenciável Jair Bolsonaro. Eduardo é advogado e policial federal. Ele gravou um vídeo, ao lado do presidente da Associação dos Cabos e Soldados da PM e do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo, sargento Renato Martins Conceição, em que criticou duramente a postura do apresentador-deputado Amaro Neto:

“Primeiramente, torcemos para a recuperação do soldado Mello. Em segundo, é de se lamentar a declaração infeliz do apresentador-deputado Amaro Neto em seu programa. Precisamos  impedir essa inversão de valores permaneça no Brasil, em que já se tornou banal a morte a ataques aos policiais. O policial representa o Estado na defesa das pessoas. Sapecar, meu caro Amaro Neto, a gente faz com porcos. É preciso que alguém no Espírito Santo dê um puxão de orelhas nesse rapaz e que ele peça desculpa aos policiais e à sociedade capixaba”, disse Eduardo Bolsonaro.

O pai, o também deputado federal Jair Bolsonaro, repudiou o caso e desejou melhoras rápidas para o soldado Mello. “Minha solidariedade ao soldado Mello, mais um colega que sofre ataque por defender a sociedade. Um policial cumpre a sua missão e precisa ser condecorado e não processado”.

Em seu Portal de Notícia, o Sindicato dos Servidores Policiais Civis do Espírito Santo (Sindipol/ES) também se manifestou contra Amaro Neto. Em nota, repudiou  veementemente a fala utilizada pelo deputado no Balanço Geral, ao usar a expressão “policial sapecado”. Para o Sindipol/ES a expressão do apresentador é uma falta de respeito com toda a categoria policial e ao próprio soldado que foi atingido e se encontra no hospital em estado grave.

O soldado Mello foi baleado por bandidos na manhã de terça-feira (20/03), quando saía de uma academia com outro colega de farda. Os dois militares estavam de folga. Somente Mello foi ferido. Os dois policiais voltavam de um treino de artes marciais. Mello passou por uma cirurgia que durou aproximadamente seis horas.

Na manhã desta quarta-feira (21/03), o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Nylton Rodrigues Ribeiro Filho, também divulgou nota repudiando a maneira “pejorativa” e “jocosa” com que o deputado estadual Amaro Neto anunciou o ataque dos traficantes ao soldado Mello.

“Não aceitamos essa expressão infeliz. Sentimos isso como uma falta de respeito, ao soldado Mello, à sua família, à Polícia Militar, representada por todos os homens e mulheres que diuturnamente enfrentam a criminalidade com suor, sangue e vidas. Sentimos isso como um desrespeito ao povo capixaba!”, diz na nota o comandante Nylton Rodrigues.

Abaixo, a íntegra da nota do Comando-Geral da Polícia Militar

Soldado Mello, estamos com você! 

Na manhã de ontem terça-feira (20), o soldado da Polícia Militar do Espírito Santo, Afonso Miller Costa de Mello, 25 anos, foi covardemente atingido por dois tiros na cabeça efetuados por um criminoso, no momento em que saía de uma academia no bairro São Torquato, município de Vila Velha.

O policial militar está internado no Hospital São Lucas em Vitória, onde após ser operado se recupera na UTI, em estado gravíssimo, porém estável.

Os suspeitos da participação no crime foram presos, dentre eles, o autor confesso dos disparos, um adolescente de 15 anos. A arma de fogo utilizada foi apreendida pela Polícia Militar.

Já seria extremamente aviltante a brutalidade sofrida por esse profissional de segurança pública, um jovem, um servidor público, um filho, um amigo, um ser humano.

Entretanto, ainda na tarde de ontem (terça-feira), o apresentador de TV AMARO NETO, em seu programa jornalístico diário, Balanço Geral da TV Vitória, ao noticiar “ao vivo” o fato, utilizou um termo jocoso e, por que não dizer, pejorativo, anunciando que um “policial foi sapecado” em São Torquato, Vila Velha.

Não aceitamos essa expressão “infeliz”. Sentimos isso como uma falta de respeito, ao soldado Mello, à sua família, à Polícia Militar, representada por todos os homens e mulheres que diuturnamente enfrentam a criminalidade com suor, sangue e vidas.

Sentimos isso como um desrespeito ao povo capixaba!

Esse desrespeito proferido, diga-se, mais de uma vez durante a reportagem, é antagônico ao que a Polícia Militar e seus integrantes dispensam ao apresentador AMARO NETO e à TV Vitória, como também a todos profissionais e órgãos de imprensa.

Essa afronta é moralmente cúmplice da barbárie; é também oposta ao respeito que temos para com o representante do povo, no Poder Legislativo em nosso Estado;

Agradecemos a todas as manifestações de apoio, ao corpo clínico do hospital São Lucas, aos policiais militares e civis que efetuaram a detenção dos criminosos; agradecemos a todos que doaram sangue atendendo o nosso clamor.

O Sd Mello está precisando de nossas orações, estamos junto com ele, com sua família.

A busca incessante pelo respeito aos Direitos Humanos deve ser incansável; isso é o que queremos para todos; trabalhamos com todas as nossas forças para uma sociedade melhor, mais respeitosa e harmoniosa.

POLÍCIA MILITAR, PATRIMÔNIO DO POVO CAPIXABA!
Quartel do Comando Geral, Vitória-ES, 21 de março de 2018.


NYLTON RODRIGUES RIBEIRO FILHO – Coronel QOC
Comandante Geral da PMES

 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger