quinta-feira, 12 de abril de 2018

DEPUTADO, QUE DESRESPEITOU A PM E TRATOU COM IRONIA SOLDADO EXECUTADO POR TRAFICANTES, RECEBEU HOMENAGEM DA PRESIDÊNCIA DA CÂMARA MUNICIPAL DE VIANA: Amaro Neto “foge” antes de ser “sapecado” pelo vereador Cabo Max

O vereador   Max Daibert de Castro Sales (PP), o Cabo Max (PP/Viana), “sapecou” o deputado estadual e apresentador de TV Amaro Neto, durante homenagem feita pela Câmara Municipal de Viana, na tarde de terça-feira (10/04), pela passagem do Dia do Jornalista. Amaro Neto é formado em Comunicação Social. Fez seu curso de Jornalismo na Faesa. Cabo Max é o primeiro secretário da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores.  Amaro recebeu homenagem do presidente da Câmara, Fábio Luiz Dias, do PT.

O protesto do vereador Cabo Max se deveu ao fato de Amaro Neto ter sido desrespeitoso e irônico  em seu programa policial (Balanço Geral, da TV Vitória), no dia 20 de março deste ano, ao noticiar o atentado sofrido por dois policiais militares, em São Torquato, Vila Velha. Um dos policiais, o soldado Afonso Miller Costa de Mello, 25 anos, baleado com tiro de pistola na cabeça, acabou morrendo dias depois. Amaro Neto simplesmente noticiou que “o soldado Mello foi sapecado”, causando a indignação e revolta da sociedade capixaba.

“O deputado Amaro Neto acabou de passar por um desgaste com toda Polícia Militar devido ao seu costume de usar termos chulos e desrespeitosos em seu programa de TV, e essas homenagens devem ser prestadas às pessoas que se destacam positivamente, e não como tem sido feita pelo nosso Legislativo, de forma politiqueira para resgatar imagem de políticos medíocres", disse Cabo Max.

Para Cabo Max, a Presidência da Câmara de Vereadores mais uma vez usou o Legislativo para “tentar resgatar a imagem de políticos desgastados” que é o caso, segundo ele, de Amaro Neto.

Outro ponto destacado pelo vereador Cabo Max foi  sobre que contribuição “programas sensacionalistas e desrespeitosos, como o apresentado pelo deputado Amaro, têm dado à sociedade capixaba”. Cabo Max foi enfático em mencionar “o desrespeito que Amaro Neto tem tido com as famílias” e questionou, durante seu discurso, qual a contribuição que o programa Balanço Geral dá para a formação de uma sociedade mais justa, pautada em princípios e valores.

Cabo Max fez um discurso duríssimo e chegou a chamar o Balanço Geral de “lixo de programa”, assim como afirmou que o deputado Amaro Neto deveria estar recebendo homenagem como "Animador de Palco" e não como jornalista, devido sua performance no "picadeiro".

Amaro Neto, que tomou conhecimento que Cabo Max iria “sapecá-lo” em seu discurso, não esperou o fim da cerimônia. Depois de receber a placa de homenagem, Amaro “fugiu” da Câmara Municipal de Viana, entrou no carro da Assembleia Legislativa e foi embora. Antes de ir embora, Amaro Neto posou para fotos ao lado de outros vereadores.

“O deputado Amaro Neto foi muito rápido em sua passagem pela Câmara de Viana, não permanecendo por mais que 15 minutos no local. Mai suma vez, foi deselegante e desrespeitoso, pois não aguardou o pronunciamento dos vereadores”, disse Cabo Max.

Esta não é a primeira cvez que Cabo Max deixa autoridades em saia justo. Em 23 de julho de 2017, o vereador fez o discurso sobre a homenagem que a Câmara Municipal de Viana fizera a autoridades, que receberam a “Comenda Heribaldo Lopes Balestrero”. O alvo de Cabo Max foi o governador Paulo Hartung, que, assim como Amaro Neto, também “fugiu” do discurso.

Hartung tomou conhecimento por meio de sua assessoria sobre a revolta de Cabo Max e fez questão de chegar atrasado à cerimonia. Chegou ao Legislativo vianense 15 minutos após o discurso de Cabo Max.

“Confesso que não entendi a escolha do governador para receber a Comenda. Como homenagear alguém que indiretamente destruiu a instituição chamada Polícia Militar? Como podemos homenagear alguém que se nega a dialogar com a classe de policiais militares? Como homenagear um governador que jogou a sociedade contra a instituição que a protege? Como homenagear alguém que descumpriu com a palavra? Ele (governador) disse que, tão logo os quartéis fossem liberados, negociaria reajuste com os policiais? Já se passaram 120 dias desde o fim do aquartelamento e o governador continua se recusando a conversar com a categoria. Como homenagear alguém que permite que seus policiais militares, que tanto contribuem para a redução da violência no Estado, tenham o pior salário do País?”, pontuou Cabo Max na época.

 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger