segunda-feira, 16 de abril de 2018

FUTURA DIZ QUE PAULO HARTUNG É DONO DA MAIOR REJEIÇÃO À CORRIDA ELEITORAL: Casagrande recebe resultado da pesquisa com gratidão ao povo do Espírito Santo

O ex-governador Renato Casagrande (PSB) recebeu com “gratidão” o resultado da primeira pesquisa oficial sobre a intenção de votos para o governo do Espírito Santo. De acordo com a pesquisa, feita pelo Instituto Futura e encomendada pela Rede Gazeta, Casagrande e seu sucessor, Paulo Hartung (PMDB), estariam empatados tecnicamente. A pesquisa foi realizada entre os dias 10 e 12 de abril de 2018 e as eleições acontecerão em outubro.

Na pesquisa estimulada, quando são apresentados os nomes dos pré-candidatos, o atual governador Paulo Hartung teria 36,9% das intenções de voto e Renato Casagrande teria 36,1%. Em terceiro lugar viria a senadora Rose de Freitas (Podemos) com 7,2%; e, em quarto,  o advogado André Moreira (PSOL) com 2,3%.

“Gratidão. É com esse sentimento que recebemos os resultados da pesquisa do Instituto Futura sobre as eleições de outubro. O empate técnico no primeiro lugar na disputa para o governo nos estimula muito a continuar articulando a construção de um projeto que recoloque o Espírito Santo no caminho do desenvolvimento, da geração de empregos, das obras de infraestrutura e, principalmente, da democracia, do diálogo e do cuidado com as pessoas”, disse Renato Casagrande.

No dia 12 deste mês – último dia em que os pesquisadores estavam nas ruas –, Hartung anunciou cinco nomes de sua preferência para, segundo ele, se habilitar a disputar o governo: seu vice, César Colgnago (PSDB); o ex-secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, o pernambucano André Garcia; o presidente da Assembleia Legislativa, Erick Musso (PRB); o animador de programa policial e deputado estadual Amaro Neto (PRB); e o deputado federal Sérgio Vidigal (PDT).

O Instituto Futura fez também projeção sem a presença de Paulo Hartung no pleito, porque, afinal, ele ainda não decidiu se será candidato. O instituto, no entanto, inseriu apenas os nomes de César Colgnago e André Garcia. Sem Hartung, Casagrande tem uma grande vantagem e levaria a eleição com 54% dos votos, ainda no primeiro turno. César Colnago teria 5,5% e ex-secretário André Garcia, teria 4,1%.

Na pesquisa espontânea, de acordo coma Rede Gazeta, quando não são apresentados os nomes dos candidatos, Hartung e Casagrande também estão empatados. Hartung foi mencionado por 16,4% das pessoas e Casagrande por 15,4%. Rose obteve 1,4%  Colnago 0,1%.

Paulo Hartung tem a maior rejeição

A pesquisa do Instituto Futura também apontou a rejeição dos candidatos. O atual governador, Paulo Hartung, é rejeitado por 22,8 % dos capixabas, enquanto a senadora Rose de Freitas por 22,3%. André Moreira tem 12,6% de rejeição; César Colnago, 12,4%; André Garcia teve 11,5%; e Casagrande a menor rejeição, com 9,5%.

O Instituto Futura realizou 800 entrevistas em 20 municípios do Estado, entre os dias 10 e 12 de abril. A margem de erro é de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos e a confiabilidade é de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o número ES-04600/2018.

TV Gazeta fica sem divulgar pesquisa e Futura deixou de projetar segundo turno 

Dois fatores chamaram a atenção sobre a pesquisa. Um deles é que o Instituto Futura deixou de abordar uma possível disputa no segundo turno entre Renato Casagrande e Paulo Hartung. É óbvio que tal pesquisa deveria entrar na seara do segundo turno, principalmente porque apresenta empate técnico entre os dois políticos.

Outro foi o fato de a TV Gazeta não ter divulgado o resultado da pesquisa. Durante a semana, o Gazeta Online chegou a informar que o ES TV 2ª Edição de sábado (14/04) divulgaria o resultado da pesquisa e que os demais veículos de comunicação da empresa – o próprio Gazeta Online, as Rádios CBN e Gazeta e o jornal A Gazeta – dariam mais detalhes sobre a pesquisa.

Para surpresa de todos, entretanto, o ES TV 2ª Edição limitou-se a informar apenas que a pesquisa já estava na internet e que a TV deixaria de divulgá-la porque teria que seguir o “calendário eleitoral” determinado pela Rede Globo, a qual à Gazeta é afiliada.

Pergunta-se: será que os diretores e editores da Rede Gazeta desconheciam que a TV Gazeta teria de seguir o calendário da Globo?

A informação, se tivesse sido divulgada pela TV Gazeta, chegaria com certeza a toda população do Espírito Santo, pois o  jornal A Gazeta e os demais veículos de comunicação do grupo não alcançam todo o Estado, nem mesmo os canais do grupo na internet.

Para se ter uma ideia, numa localidade distante a quatro quilômetros da sede de Santa Maria de Jetibá, por exemplo, os aparelhos de televisão  pegam facilmente a TV Gazeta, com a programação de Vitória, mas na mesma região não existe acesso à internet.

Portanto, a não divulgação da pesquisa, no sábado pela TV Gazeta, prejudicou, sobretudo, os milhões de capixabas que não têm acesso ao jornal A Gazeta e nem à internet.

 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger