quarta-feira, 20 de junho de 2018

Deputado Freitas critica falta de investimentos na segurança pública capixaba e elogia decisão corajosa de Casagrande em se lançar como pré-candidato ao governo do Estado

Ao usar a Tribuna do Plenário da Assembleia Legislativa, na manhã desta quarta-feira (20/06), para criticar a “péssima gestão” do governo capixaba na segurança pública, o deputado estadual Eustáquio Freitas (PSB) elogiou a “corajosa” decisão do ex-governador Renato Casagrande em abrir mão de uma “fácil vitória” ao Senado Federal para se lançar pré-candidato ao governo do Espírito Santo nas eleições de 7 de outubro de 2018.

“Se o Renato (Casagrande) fosse covarde, ele não teria lançado seu nome como pré-candidato ao governo do Espírito Santo. Ele quer voltar a ser governador para salvar a população e livrar o Estado dessa ditadura”, disse o deputado Freitas.

O parlamentar lamentou o fato de o governador Paulo Hartung (MDB) ter reduzido os investimentos na segurança pública, além de extinguir o Batalhão de Missões Especiais (BME) e a Rota Ostensiva Tática Motorizada (Rotam) da Polícia Militar, como retaliação ao aquartelamento dos policiais, em fevereiro de 2017:

“O governo não só deixou de investir, como acabou com o BME e a Rotam. O governo atual excluiu da segurança pública uma polícia especializada e excluiu também policiais especializados”.

O deputado Freitas lembrou que, em média, pelo menos 500 policiais militares têm ido para a Reserva Remunerada e desde 2015, quando o governador Paulo Hartung deu início ao seu terceiro mandato, o Estado deixou de realizar concursos públicos.

“Como reflexo da falta de investimentos na segurança pública, estamos assistindo, a cada dia, o domínio do tráfico nas comunidades. É lamentável que moradores tenham que se mudar de bairros porque são expulsos por traficantes. É lamentável que a Igreja Católica do Morro da Piedade (Centro de Vitória) feche as portas por causa do domínio do tráfico”, pontou Freitas.

O deputado Eustáquio Freitas acrescentou que, enquanto a segurança pública perdeu recursos no governo Hartung, os gastos com publicidade, na mesma gestão, aumentaram.

O deputado Eustáquio Freitas também lamentou o fato de seu município, São Mateus, no Norte do Espírito Santo, estar entre os mais violentos do País, conforme Atlas da Violência/2016, divulgado semana passada pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea) e Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP).

De acordo com a publicação, Serra, na Grande Vitória, e São Mateus, foram os municípios mais violentos do Estado em 2016. Os dois municípios tiveram, respectivamente, índices de 59.9 e 56.9 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes, o que está bem acima da média nacional de 30.3.

Segundo o Atlas da Violência, o número de assassinatos tem crescido na maioria das cidades do interior capixabas. Além de São Mateus, também estão entre os municípios mais violentos Linhares, com índice de 36.6 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes; Cachoeiro de Itapemirim, com 30.4; e Colatina, com 28.3. Na Grande Vitória, depois da Serra, estão Cariacica (48.1), Guarapari (40.3), Vila Velha (38.8) e Vitória (23.1).

“Enquanto a violência cresce, a segurança pública segue sem investimentos”, frisou o deputado Freitas.

Indagado  sobre a animação de seu amigo e companheiro de partido Renato Casagrande em disputar o governo do Estado, o deputado Eustáquio Freitas enalteceu a coragem do ex-governador. Segundo Freitas, Casagrande, caso se decidisse se candidatar ao Senado Federal, certamente ficaria com uma das duas vagas no pleito de outubro:

“Com certeza, o Renato Casagrande, se fosse disputar o Senado, seria um dos vencedores. Como o mandato é de oito anos, daqui a quatro anos ele viria como candidato ao governo do Estado e, certamente, venceria. Mas Casagrande não é covarde. Há quatro anos ele vem observando que o Espírito Sando está sofrendo com a extinção de políticas sociais em favor das populações carentes; vem sofrendo com as obras paralisadas; vem sofrendo com o descaso na saúde, educação e segurança pública”, pontuou Freitas.

Ele lembra que, em 2022, quando haverá novas eleições para o Senado, estará em disputa apenas uma vaga, o que dificultará a vitória de qualquer candidato. Por isso, Freitas elogia a “coragem” de Casagrande:

“Renato Casagrande está tendo coragem e  por isso lançou seu nome a pré-candidato ao cargo de governador. Precisamos ter homens como o ex-governador Casagrande, que tem a coragem de lutar contra a ditadura que assola o Espírito Santo”, disse Freitas.


 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger