sábado, 6 de abril de 2019

Em solenidade pelos 184 anos da Polícia Militar, governador fala das mudanças nas Leis de Promoção e da valorização e reestruturação da segurança pública em seu governo

Ao participar da solenidade  que marcou as comemorações oficiais dos 184 anos da Polícia Militar do Estado do Espírito Santo, o governador Renato Casagrande voltou a garantir que as mudanças nas Leis de Promoção de Praças e Oficiais da corporação têm a finalidade de corrigir injustiças cometidas com a maioria da tropa e fazer a PM a voltar a ser uma polícia de Estado e não de governo. A solenidade ocorreu na noite de sexta-feira (05/04), no pátio do Quartel do Comando Geral da PM, em Maruípe, Vitória.

Casagrande lembrou aos presentes que está somente há três meses no governo – “e não três anos” – e que no decorrer da gestão vai continuar debatendo e dialogando com “todos vocês” com o objetivo de valorizar os profissionais e reestruturar  a corporação.

Ele ressaltou, todavia, que o governo jamais abandonará a responsabilidade fiscal:

“Conforme garanti na campanha eleitoral, pedi ao coronel Barreto – coronel Moacir Leonardo Vieira Barreto Mendonça, comandante-geral da PMES – para conduzir os estudos para mudanças nas Leis de Promoção de Praças e Oficiais, dentro do diálogo com as entidades de classe. Apontaremos, dentro da responsabilidade que é exigida com relação ao termo fiscal, as alterações que deverão ser feitas para corrigir os erros que transformaram nossa polícia, infelizmente por um certo tempo, numa polícia de governo. Voltaremos a ter uma polícia de Estado. Aquilo que dissemos a vocês, na campanha eleitoral, vamos fazer, que é corrigir as injustiças. Nosso objetivo é valorizar e reestruturar a polícia no decorrer do nosso governo. Vamos continuar debatendo e dialogando com vocês para que possamos alcançar êxito ainda maior e elevar o ânimo moral dos operadores de segurança pública capixaba”, afirmou o governador.

Renato Casagrande lembrou que, mesmo com apenas três meses de gestão, seu governo vem cumprindo tudo que prometeu, sobretudo aos policiais militares e à sociedade. Nesse período, a polícia  capixaba reduziu os índices de criminalidade – crimes contra a vida e crimes contra o patrimônio.

Antes de falar diretamente para a tropa, o governador agradeceu a presença de diversas autoridades na cerimônia. Elogiou a parabenizou o senador Marcos Do Val e o deputado federal Da Vitória pela ajuda que vêm dando ao governo estadual e ao povo capixaba em Brasília.

Casagrande também enalteceu, elogiou e agradeceu aos deputados estaduais Coronel Quintino e Capitão Assumção pelo trabalho que realizam na Assembleia Legislativa em prol da segurança pública e da sociedade capixaba. O governador  ainda agradeceu a presença de seu secretariado na solenidade.


Governador prometeu e cumpriu: Lei da Anistia beneficiou 2.622 militares

Renato Casagrande voltou a falar para a tropa que, mesmo sendo criticado pela imprensa capixaba e nacional e mesmo contrariando parcela da população, sancionou a lei, de autoria do Executivo Estadual, que concedeu anistia administrativa aos policiais militares que participaram do aquartelamento de fevereiro de 2017.

A anistia beneficia 2.622 militares, incluindo os 23 praças já excluídos e outros seis oficiais que foram submetidos ao Conselho de Justificação. A anistia estabelece ainda pagamento de salário retroativo aos militares excluídos da corporação por conta da "greve" de 2017.

“Quando assumi o governo, em janeiro deste ano, tomei uma decisão difícil. Tive que enfrentar a opinião pública e crítica da imprensa local e nacional, enfrentei discordância e divergências de parte da sociedade. Mas  decidi tomar a decisão, junto com os  gestores da segurança pública, que foi o de conceder a anistia. Era preciso fechar uma cicatriz, provocada por erros”, salientou Casa grande.

Ao final do discurso, Renato Casagrande garantiu novamente a disposição de seu governo trabalhar  “insistentemente e teimosamente” para que a segurança pública do Espírito Santo tenha o seu valor.

Frisou que, no momento em que a Polícia Militar comemora 184 anos de existência, é preciso que a corporação continue sendo “responsável, equilibrada e justa, para que todos nós possamos ter bom senso”.

E, dirigindo-se para os policiais militares e oficiais perfilados a sua frente, o governador,  de novo, reconheceu o valor da tropa:

“Todos vocês sempre trabalharam carregando essa farda que inspira confiança, justiça, equilíbrio, bom senso e integração com a comunidade. Nessa hora, nós, governantes, temos que assumir compromisso e responsabilidade com dinheiro público e manter o Estado organizado financeiramente, mas ao mesmo tempo temos que reconhecer quem, efetivamente, trabalha e defende a sociedade. Parabéns aos nossos policiais! Vamos continuar trabalhando juntos.”
 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger