segunda-feira, 1 de abril de 2019

NA CRECHE PRAIA BABY FUNCIONAVA TAMBÉM FÁBRICA CLANDESTINA DE CERVEJA: Polícia Civil vai apurar morte de menino contaminado por bactéria em creche particular no Espírito Santo

A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa de Vila Velha vai abrir apurar a morte do menino Theo Cosine Cipriano, de 2 anos, uma das 15 vítimas de uma infecção contraída na Creche Praia Baby, localizada na Rua Quinze de Novembro, 926, na Praia da Costa, em Vila Velha. A Polícia Civil vai apurar a responsabilidade criminal pela tragédia. Ainda esta semana, os donos da creche e funcionários começam a ser intimados para prestar depoimento.

A informação foi dada ao Blog do Elimar Côrtes, na manhã desta segunda-feira (01/04), pelo diretor-geral da Polícia Civil, delegado José Darcy Arruda. Ainda nesta segunda, Arruda encaminhará uma Comunicação Interna (CI) à chefia da DHPP de Vila Velha, uma vez que, de acordo com resultados dos exames realizados pelo Laboratório Central (Lacen) da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) apontam para o encontro de coliformes fecais num chafariz instalado localizado no pátio da creche:

“Estou fazendo uma CI a DHPP de Vila Velha para apurar a morte do menino, uma vez que os exames feitos pelo Lacen avançam no sentido de ter encontrado coliformes fecais como a própria imprensa já noticiou e pelo fato dos proprietários serem agentes garantidores”, explicou o delegado Darcy Arruda.

Na sexta-feira passada (29/03), a Prefeitura de Vila Velha interditou por tempo indeterminado a creche particular Praia Baby, onde ocorreu o surto infeccioso de diarreia vitimando 15 pessoas (11 crianças e quatro adultos). O pequeno Theo morreu na quarta-feira (27/03).

A medida foi tomada após a emissão de laudos das Vigilâncias Sanitárias, Ambiental e Epidemiológica da Semsa e do Laboratório Central da Secretaria Estadual de Saúde (Sesa), confirmando a presença de agentes altamente contaminantes em áreas de lazer da creche freqüentada pelos alunos.

Também foi encontrada a presença do agente bacteriano Escherichia coli ou e.coli numa torneira nas dependências de uma fábrica clandestina de cerveja artesanal instalada no mesmo imóvel da creche.

“As investigações e interdição vão continuar, num trabalho conjunto das autoridades de saúde pública municipal e estadual, enquanto não houver segurança para as crianças e funcionários da creche particular”, afirmou o secretário municipal de Saúde, Jarbas Ribeiro de Assis Júnior.

Ainda segundo o secretário Jarbas Ribeiro, exames de duas crianças que apresentaram diarreia apontaram a presença da bactéria Escherichia coli. A mesma bactéria foi encontrada em uma pequena fábrica clandestina de cerveja artesanal que fica nos fundos da Creche Praia Baby, onde as crianças estudavam.

“Os exames que o laboratório de saúde pública nos enviou confirmam a mesma bactéria que encontramos lá na creche, mas numa variante muito agressiva, inclusive em uma das crianças que está em estado grave. Então, nós praticamente fechamos o ciclo. Temos a bactéria na creche, temos a bactéria nas crianças adoecidas. Nós sabemos que a transmissão foi pela água. Alguns detalhes ainda faltam para completar essa investigação, mas acho que estamos chegando no final dela", disse o secretário de Saúde de Vila Velha, Jarbas Ribeiro, em entrevista à TV Gazeta.

Segundo ele, o andamento das investigações aponta que o chafariz da creche, onde as crianças brincavam e tomavam banho, pode ter sido a fonte do problema.

 

Blog do Elimar Côrtes Copyright © 2011 -- Template created by O Pregador -- Powered by Blogger